Parceria

Doria afirma que SP abrirá escritório nos EUA caso Biden seja eleito presidente

"Se o eleito for Joe Biden, [ele] terá uma outra visão em relação ao continente latino-americano", comentou o governador de São Paulo.

O governador João Doria (PSDB) afirmou que São Paulo irá abrir um escritório nos Estados Unidos caso Joe Biden seja eleito presidente. O democrata está à frente de Donald Trump, com 264 delegados a favor.

“Evidentemente vamos aguardar o resultado das eleições, mas antecipo que se o eleito for Joe Biden, [ele] terá uma outra visão em relação ao continente latino-americano, com toda segurança, com toda certeza e de forma mais integradora, ao meu ver”, disse.

Doria afirmou que, “para São Paulo, eu antecipo a você, não tenho nenhuma dúvida que será muito bom. Os Estados Unidos da América são um parceiro importante. O segundo maior parceiro comercial do Brasil, segundo maior parceiro comercial de São Paulo. Poderemos, com a confirmação de Joe Biden como presidente dos Estados Unidos, fortalecer ainda mais esta relação”.

Leia também:

>>> “A esperança é a última que morre”, diz Bolsonaro sobre eleições nos EUA
>>> Humberto diz que possível derrota de Trump significa também “uma derrota do negacionismo científico”
>>> Trump dispara nas redes sociais: ‘Parem de fraude’

Os Estados Unidos são o segundo maior parceiro comercial do estado. Atualmente, há 39 projetos norte-americanos na Invest SP, agência paulista de atração de investimentos. A meta é dobrar o número em dois anos.

Atualmente, SP possui dois escritórios internacionais, um em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e outro em Xangai, na China. Há uma previsão da abertura em Munique, na Alemanha, até o final do primeiro semestre de 2021.

Humberto diz que possível derrota de Trump significa também “uma derrota do negacionismo científico”

O senador Humberto Costa (PT) comentou, nesta sexta-feira, 6 de outubro, sobre as eleições dos Estados Unidos. O candidato democrata Joe Biden se aproxima da vitória, com 264 delegados contra 214 do atual presidente Donald Trump.

Para o parlamentar, a possível derrota de Trump deve ser entendida também com “uma derrota do negacionismo científico”. “A derrota dos supremacistas brancos. Dos racistas. Dos misóginos. Dos homofóbicos. De todos aqueles que querem destruir os organismos multilaterais do mundo, e daqueles que utilizam o nome de Deus em vão com objetivos completamente escusos”, disse.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal