Pernambuco

Poliomielite: mais de 209 mil crianças pernambucanas precisam ser vacinadas

A iniciativa oferta uma dose extra para as crianças entre 1 e menores de 5 anos.

Termina nesta sexta-feira (30) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite. A iniciativa oferta uma dose extra para as crianças entre 1 e menores de 5 anos que estejam com o esquema básico para a doença em dia.

Em Pernambuco, são mais de 549 mil meninos e meninas nessa faixa etária. Até o momento, 340.129, representando 61,91%, foram imunizados, colocando o Estado na segunda colocação do país no percentual do público vacinado e acima da média nacional, de 42,7%. Importante lembrar que, concomitante, também ocorre a Campanha de Multivacinação para Atualização de Caderneta de menores de 15 anos, com a oferta de todos os imunizantes para quem está com alguma dose em atraso.

“Apesar da boa colocação de Pernambuco no ranking nacional da campanha contra a poliomielite, não temos o que comemorar. O percentual de vacinação ainda está abaixo da meta mínima de 95%. Isso demonstra que os pais e responsáveis ainda precisam se mobilizar para levar as crianças para fazer essa dose extra contra a pólio até esta sexta. Essa imunização é de suma importância para corrigir qualquer falha vacinal e ampliar ainda mais a resposta imunológica do corpo contra a doença. A partir da próxima segunda, com o fim da campanha, os postos de saúde voltam à normalidade, aplicando apenas as doses preconizadas no calendário nacional de vacinação, que também deve estar sempre em dia”, afirma o secretário estadual de Saúde, André Longo.

A preocupação do secretário é ratificada pela baixa cobertura da vacinação de rotina contra a poliomielite, que teve seu último caso no Brasil em 1989. Apesar da meta também ser de 95%, o Estado está, até o momento, com 66% de crianças vacinadas. Em 2019 ficou em 85%.

“Temos dois países no mundo com casos de poliomielite. Enquanto houver alguma localidade com transmissão ativa da doença, é preciso manter nossas crianças imunizadas. Essa é a maneira mais segura e efetiva de evitar a paralisia infantil. Lembro também que a vacinação ajuda a coletividade, já que a vacina gera proteção também para aquelas pessoas que, por alguma questão de saúde, não podem tomar a dose”, frisa a superintendente de Imunizações da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), Ana Catarina de Melo.

CAMPANHA DE MULTIVACINAÇÃO – Para atualização da caderneta de vacinação das crianças abaixo de 7 anos, as unidades de saúde estão disponibilizando os seguintes imunizantes: BCG, hepatite B, pentavalente, poliomielite, rotavírus, pneumocócica 10, meningocócica C, febre amarela, tríplice viral, varicela, hepatite A e DTP. A partir dos 7 anos, até os menores de 15, podem ser feitas as doses da hepatite B, febre amarela, meningocócica ACWY e HPV. Nessa campanha, são feitas apenas as doses em atraso.

“A campanha é um momento a mais para dar proteção às crianças e aos adolescentes. Mesmo com o fim da mobilização nacional, continuo reforçando que os pais e responsáveis devem levar esses jovens aos postos de saúde para tomar as vacinas que estão em falta. As crianças e adolescentes contam com um calendário vacinal específico que deve ser seguido e priorizado. Vacinar significa dar saúde e qualidade de vida a essa população, evitando adoecimentos e até mesmo o óbito”, finaliza o secretário estadual de Saúde, André Longo.

TRÍPLICE VIRAL – Além das campanhas voltadas para crianças e adolescentes, também termina na sexta (30/10) a mobilização contra o sarampo voltada para adultos entre 20 e 49 anos. As pessoas nessa faixa etária devem tomar uma dose da tríplice viral, que protege ainda contra rubéola e caxumba, independente da situação vacinal.

Ver mais: 

>> André Longo nega novo aumento de casos graves de covid-19 em Pernambuco

Governo do Estado de Pernambuco

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com