Segurança

Pernambuco cria força-tarefa para combater crime organizado

A força-tarefa irá contar com a participação das polícias Civil, Militar, e as polícias Federal e Rodoviária Federal devem participar das reuniões.

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS/PE) criou uma força-tarefa, coordenada pelo secretário-executivo da pasta, Humberto Freire, para combater o crime organizado no Estado.

O motivo para a criação foi o aumento em 10,8% nos homicídios em 2020 em comparação ao ano de 2019. A força-tarefa deve reunir diretores integrados das polícias Civil e Militar, e representantes da Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) e de órgãos como a Agência Brasileira de Inteligência.

“No que concerne ao crime contra a vida, realmente nós estamos com esse aquecimento. Num mapeamento permanente, semanal, identificamos a atuação de grupos criminosos na Região Metropolitana, na Zona da Mata e do Agreste. A maioria dos crimes contra a vida estão ligados ao tráfico, com pessoas vinculadas tanto matando, quanto morrendo. Estamos adotando as ações necessárias para o combate a esses grupos”, disse.

Pernambuco cria força-tarefa para combater crime organizado
Polícia Militar de Pernambuco. Foto: Divulgação/Comunicação PM-PE

De acordo com a SDS, as polícias Federal e Rodoviária Federal participarão das reuniões.

“Eles vão participar para que a gente possa trocar informações e discutir permanentemente não só quem são esses atores [que participam do tráfico], mas a melhor forma de combatê-los. O planejamento é integrado, e as ações tendem a ser integradas”, comentou o secretário-executivo.

Leia também:

>>> Pernambuco: setembro de 2020 repete cenário de CVLI do ano passado
>>> Homicídios têm queda e mês de agosto tem menor número de mortes em 6 anos
>>> Recife: SDS registra menor índice de roubos em 15 anos

Fim de semana violento em PE

O último final de semana foi marcado pela violência em Pernambuco. Segundo um balanço feito pelo programa Bandeira 2, da Rádio Jornal, foram registrados 36 assassinatos no Estado, sendo 21 na Região Metropolitana do Recife (RMR) e 15 no interior. Entre os casos registrados, houve uma tentativa de chacina, cinco duplos homicídios e um triplo homicídio.

Na sexta-feira, 23 de outubro, três pessoas foram baleadas na Rua da Bueira, em Enseada dos Corais, no município do Cabo de Santo Agostinho, na região metropolitana. Duas vítimas morreram no local, e uma ainda chegou a ser socorrida para o Hospital Dom Helder, mas não resistiu.

No sábado, 24 de outubro, uma garota de 18 anos foi encontrada dentro de um casarão abandonado na Rua Miguel Romã Abreu e Lima, no bairro de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, também no Grande Recife.

Na madrugada do domingo, 25 de outubro, houve uma tentativa de chacina no bairro de Comportas, em Jaboatão dos Guararapes. Cinco homens foram baleados, e um não resistiu e morreu no local. Outros dois homens foram localizados com vida em hospitais do Grande Recife. As outras duas vítimas ainda não foram localizadas.

Não foram detalhados os outros assassinatos. O próximo balanço da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS/PE) será divulgado em novembro.

Pernambuco: setembro de 2020 repete cenário de CVLI do ano passado

Nas estatísticas gerais de homicídios, houve retração em três das quatro regiões do Estado: Agreste (-13,41%), Região Metropolitana (-3,95%) e Zona da Mata (-12,7%). Crimes de proximidade motivam os assassinatos no Sertão. Ao todo, 87 cidades não registraram crimes contra a vida e, em 30 dias, 185 homicidas foram presos. Violência doméstica e estupros mantiveram a queda verificada ao longo do ano.

Os homicídios em Pernambuco, no último mês de setembro, chegaram a 288, um acréscimo de 6 casos na comparação com o nono mês de 2019, que terminou com 282 vítimas. Percentualmente, a oscilação representa 2%. No entanto, houve recuo nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) em três das quatro regiões do Estado.

O Agreste apresentou o recuo mais significativo, com -13,41%, pois reduziu de 82 para 71 o número de vítimas. Na Zona da Mata, a queda foi de 12,7%: de 63 para 55 casos. Já nos municípios da Região Metropolitana, com exceção do Recife, a retração de 76 para 73 ocorrências resultou numa diferença de -3,95%. Já no Sertão, verificou-se crescimento de 43,75% (de 32 para 46) nos CVLIs em setembro de 2020.

“Tivemos um setembro de 2020 muito semelhante ao mesmo mês no ano passado, nas estatísticas de CVLI. O Sertão puxou essa oscilação para cima. Essa região nos mostra uma realidade mais acentuada em relação às demais. Fizemos um estudo que mostra que 56% dos homicídios nos municípios sertanejos são de proximidade, ou seja, por intolerância de diversas formas, violência doméstica e intrafamiliar, discussões em bares, festas ou brigas de vizinhos. A média geral do Estado, incluindo o Sertão, é de 28%. Ao contrário do que se verifica em outras regiões, onde há predominância da atividade criminosa e tráfico de drogas na motivação dos crimes, no Sertão há a agressão por impulso, o uso da violência como afirmação de força na comunidade. Em geral, prendemos esses agressores rapidamente, e eles costumam alegar arrependimento do que fizeram sob forte emoção, ou sob efeito de álcool, por exemplo. Mas aí já é tarde, pois já mataram alguém, causaram danos irreparáveis e destruíram as próprias vidas”, contextualiza o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.

O secretário explica ainda que trabalhos estão em curso para prevenir crimes e retirar de circulação acusados de homicídios. “Só em setembro de 2020, as forças de segurança prenderam 185 acusados de homicídio, 82 deles em flagrante”, diz. Computando os dados desde janeiro, o ano atual conta 2.837 vítimas de homicídio em Pernambuco, 276 acima das 2.561 nesses nove meses em 2019.

Em termos percentuais, um aumento de 10,8%. Por região, a soma de janeiro a setembro demonstrou aumento. O Agreste passou de 667 para 677 (+1,5%), enquanto o Recife variou de 377 para 411 (+9,02%). Percentual próximo ao dos demais municípios da área metropolitana (+9,46%), que saíram de 740 para 810 vítimas. Sertão e Zona da Mata, respectivamente, tiveram 19,79% (de 283 para 339) e 21,46% (de 494 para 600) de aumento.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal