Declaração

Coronel Feitosa diz que igreja terá vez e voz na sua gestão

Segundo o prefeiturável, as instituições religiosas terão espaço nas ações de segurança social, coordenadas pelo candidato a vice-prefeito, o Pastor Wellington Carneiro.

Em live realizada nas suas redes sociais na noite desta terça-feira (27), o Coronel Feitosa (PSC) disse que João Campos (PSB) esconde a verdade, além de fazer críticas a Marília Arraes (PT), Delegada Patrícia (Podemos) e Mendonça Filho (DEM). Ao lado do seu vice, o Pastor Wellington Carneiro (Patriota), o candidato afirmou que na sua gestão a igreja terá vez e voz.

O coronel voltou a falar sobre os problemas do Recife, como nas áreas de saúde, segurança, educação, e limpeza urbana, que já tomam conta da cidade “há quase 20 anos, tempo em que a esquerda está à frente do poder”.  Segundo Feitosa, a atual gestão traz a marca da mentira e “João Campos esconde o governador, o prefeito e até mesmo o seu partido”.

Na conversa, o coronel questionou o Pastor Wellington sobre sua percepção da aparição do ex-presidente Lula no guia eleitoral de Marília Arraes.

“É lamentável você ter uma pessoa acusada de tantos crimes de corrupção aparecer em um guia eleitoral ao lado de uma deputada federal e ver pessoas ainda dando crédito isso. Eu olho pros meus filhos e penso: esse não é o Recife que eu quero para eles”, disse o Pastor.

Leia também:

>>> Coronel Feitosa apresenta propostas para a segurança, educação e saúde no Vasco da Gama
>>> Feitosa firma compromisso com a educação para crianças especiais
>>> Em carreata, Coronel Feitosa afirma que vai livrar o Recife das amarras da esquerda

Ao citarem Mendonça Filho, Feitosa e Carneiro criticaram o derrame de dinheiro na campanha eleitoral.

“O candidato estava pagando um valor alto para as pessoas irem às ruas, mas seu material começou a ser rejeitado e hoje já vemos uma quantidade menor de militância. Já nós, abrimos mão do fundo eleitoral”.

Feitosa ainda acusou Mendonça de usar a imagem de Bolsonaro, questionando a falta de defesa do presidente no episódio sobre a saída de Moro do Governo Federal.

A Delegada Patrícia foi novamente criticada pelo coronel, que lembrou o episódio divulgado nas últimas semanas em que ela chamou a cidade de “Recifilis” e o recifense de povo feio.

“Ela é contraditória. Apresentou um atestado para ficar em casa durante a pandemia e falou até em entrar com uma ação contra o Estado para não voltar  a trabalhar, mas está nas ruas fazendo campanha eleitoral”, disse.

Ao falarem sobre a atuação da igreja no governo, o Pastor Wellington criticou a atual gestão, afirmando que hoje as igrejas são perseguidas e estão abandonadas.

“Na campanha eles procuram as igrejas, fazem promessas, mas depois não nos ouvem e nos deixam de lado. De todos os 11 candidatos, o único que está dando vez e voz a igreja é o senhor. Nós, inclusive, somos a única chapa 100% conservadora, em defesa da família e dos bons costumes”.

Segundo Feitosa, as instituições religiosas terão espaço nas ações de segurança social que serão coordenadas pelo seu vice.

Da redação do Portal com informações da assessoria de Alberto Feitosa 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com