Investigações

PF investiga mais de R$ 2 bilhões em compras suspeitas da pandemia

Todas essas ações somaram 11 prisões preventivas, 120 detenções temporárias e 929 mandados de busca e apreensão.

A constatação da Polícia Federal (PF) que, desde abril, já  realizou 52 operações em 19 estados, em busca de provas para aprofundar as investigações sobre as possíveis fraudes e as suspeitas em licitações, compras de insumos com empresas de fachada e superfaturamento na aquisição de equipamentos durante a pandemia somam mais de R$ 2 bilhões.

Investigadores apuram agora, dentro desse universo de R$ 2 bilhões, quanto de fato foi desviado. Todas essas ações somaram 11 prisões preventivas, 120 detenções temporárias e 929 mandados de busca e apreensão.

Ver mais:

>> Cerca de 15 inquéritos já foram instaurados pela PF em Pernambuco para apurar compras na pandemia

>> Covidão: PF mira em esquema criminoso que desviou R$ 20 milhões da Saúde de Roraima

>> Crusoé relata que PF encontrou dinheiro escondido na cueca de senador

Investigações no Recife

Em junho, a Polícia Federal revelou durante os detalhes das Operações Casa de Papel e Antídoto, que tiveram como alvos as Prefeitura do Recife, do Cabo de Santo Agostinho, de Olinda e de Paulista, além de empresários e pessoas apontadas como “laranjas” da organização criminosa que vendeu EPIs para essas Prefeituras, que cerca de 15 inquéritos já teriam sido instaurados para investigar desvios de recursos públicos durante a pandemia de COVID-19.

Além das já citadas Casa de Papel e Antídoto, uma terceira, chamada de Apneia e que também teve como alvo a Prefeitura do Recife, investiga a compra de respiradores de porcos que sequer tinham autorização da ANVISA para sua utilização em humanos.

Não foram dados mais detalhes sobre as demais investigações nem quem seriam os investigados.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com