Pernambuco

Gás de cozinha já está mais caro depois do aumento de 5% da Petrobras

O reajuste passou a ser válido desde a última quarta-feira, 21 de outubro; confira novos preços.

Na última quarta-feira, 21 de outubro, o preço do gás de cozinha ficou 5% mais caro em Pernambuco. O reajuste, repassado às cinco distribuidoras pernambucanas, foi autorizado pela Petrobras na terça-feira, 20 de outubro.

Com o preço médio do botijão de 13 kg em R$ 70, caso as distribuidoras e as 1.600 revendedoras repassem o valor integral do reajuste, o aumento será de R$ 3,50, passando a custar, em média, R$ 73,50.

Leia também:

>>> Revendedores de gás de cozinha param na BR-101 contra aumento do produto
>>> Preço do gás de cozinha tem reajuste de 5% pela Petrobras
>>> Petrobras anuncia redução do preço da gasolina, a partir de sexta (16)

Nos últimos seis meses, a Petrobras já aumentou outras seis vezes o valor do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP).

Por meio de nota, o Sindicato dos Revendedores de Gás Liquefeito de Petróleo do Estado de Pernambuco (Sinregás-PE), informou que “não concorda com o aumento no custo do gás de cozinha, por não caber, especialmente nesse momento de pandemia, nenhuma transferência de aumento de custos para os consumidores de gás do Estado de Pernambuco, que já vem sofrendo muito com os aumentos repassados pela Petrobras nos últimos meses”.

Leia a íntegra

“O Sindicato dos Revendedores de Gás Liquefeito de Petróleo do Estado de Pernambuco (Sinregás-PE) vem a público manifestar o seu repúdio em decorrência do comunicado da Petrobras, sobre um novo aumento de 5% no custo do Gás Liquefeito de Petróleo (Gás de cozinha) a partir de 21 de outubro de 2020.

Portanto, o SINREGÁS-PE não concorda com o aumento no custo do Gás de cozinha, por não caber especialmente nesse momento de pandemia, nenhuma transferência de aumento de custos para os consumidores de gás do Estado de Pernambuco, que já vem sofrendo muito com os constantes aumentos repassados pela Petrobras nos últimos meses, ao todo já são 07 (sete) aumentos em apenas seis meses, ou seja, de abril até agosto desse ano, as Distribuidoras já repassaram seis aumentos para as revendas. E no mês passado tivemos o sétimo aumento, que foi o repasse do Dissídio Coletivo da categoria.

Tudo isso justamente num momento de Pandemia, onde deveríamos unir todos os esforços nesse período para baixar custos, tanto para a sobrevivência comercial das revendas, quanto para não repassar reajustes para a população, pois os constantes aumentos no Gás de Cozinha, é culpa da Petrobras / Distribuidoras e da taxação do Governo do Estado com o Pátio de Triagem.

Por fim, deixamos aqui nossa indignação e alertamos a sociedade desse aumento abusivo e convidamos para se juntar a nós nessa luta!!”

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal