Eleições 2020

Mendonça diz que Recife vai deixar de ser a capital dos impostos

Candidato afirmou na última quarta-feira (21), que a cidade deixará de ser uma "indústria das multas" para ser a cidade da geração de emprego e renda.

O candidato a prefeito Recife, Mendonça Filho (DEM), afirmou na última quarta-feira, 21 de outubro, durante homenagem recebida pelo Caxangá Ágape, que o Recife vai deixar de ser a capital dos impostos e das multas para ser a cidade da geração de emprego e renda.

“A perseguição do PSB ao contribuinte é absurda. Só sabem taxar, multar, cobrar imposto. O prefeito Geraldo Júlio chegou ao cúmulo de antecipar a cobrança do IPTU de 2021 para cobrir os rombos de sua má gestão. Comigo e Priscila isso vai mudar. Recife vai ser a cidade da geração de emprego e renda. Vamos revisar a legislação para fazer justiça tributária. Na nossa gestão, a prefeitura será voltada para atender ao contribuinte e não para sufocar o recifense com as maiores taxas e impostos”, garantiu.

Num discurso duro, Mendonça afirmou que sua candidatura é contra o “mandonismo do PSB de Geraldo Júlio e Paulo Câmara e que quer continuar com João Campos.

O candidato ressaltou que Recife precisa de boa gestão para resgatar a cidade aos recifenses. Mendonça reafirmou sua proposta de congelamento do IPTU e da Taxa de Lixo (TRSD) por dois anos, a suspensão de reavaliações tributárias imobiliárias e a revisão da legislação tributária.

“Esse mesmo grupo tem hegemonia na cidade há quase 20 anos. E o resultado disso é uma cidade que perdeu sua liderança no Nordeste, virando a capital dos títulos negativos: da corrupção, dos impostos, do desemprego. A cidade está abandonada”, afirmou.

Mendonça disse que vai renegociar grandes contratos nas administrações direta e indireta para cobrir o impacto financeiro da medida. A medida representará para o contribuinte uma redução de 6,25% no valor real pago do IPTU e da Taxa de Lixo, sendo 3,14% (2021) e 3,02% (2022). Segundo Mendonça, o recifense precisa de um prefeito que olhe para a cidade e cuide das pessoas.

“É uma proposta inédita e elaborada com responsabilidade fiscal, sustentação financeira e técnica. Vamos eliminar a lógica punitiva do PSB de sacrificar a população e os empreendedores na cidade com altas taxas e impostos”, afirmou.

Mendonça diz que Recife vai deixar de ser a capital dos impostos
Mendonça Filho em reunião. Foto: Bruno Campos

“A saúde do PSB é um descaso. Faltam remédios, faltam médicos, sobra polícia na porta da Secretaria de Saúde. Mudaremos isso, começando com o ‘Saúde 24h’, que, funcionará em três turnos e vai zerar essa fila vergonhosa dos socialistas, com mais de 200 mil pessoas à espera de exames e cirurgias simples”, afirmou.

Mendonça lembrou que a gestão do PSB vem sendo investigada na saúde, tendo sido alvo de operações da Polícia Federal, por suspeita de corrupção com recursos da saúde para a Covid_19.

“É revoltante. Chegaram ao cúmulo de comprar respiradores, sem aval da Anvisa, que só haviam sido testados em porcos, como se o recifense assim o fosse”, criticou.

Acompanhado de Priscila Krause e do ex-senador Armando Monteiro, do PTB, Mendonça fez um discurso onde pontou diversos problemas da gestão do PSB, apresentando na sequência suas propostas.

“Recife é um fracasso na educação. Ocupamos o 21º lugar no Ideb, que mede a qualidade dos primeiros anos de formação escolar. Entre 26 capitais! Uma vergonha. Há um déficit de creche de mais de 35 mil vagas”, desabafou.

Leia também:

>>>Mendonça afirma que Recife vai deixar de ser a capital do desemprego

“Estamos nos comprometendo a criar dez mil vagas em creches e começar a escola em tempo integral para o ensino fundamental, além de levar internet gratuita para todos os alunos da rede municipal”, declarou. “Habitacionais são prometidos, começam a ser construídos e param. Há projetos que estão há dez anos parados. Pessoas estão morando nas palafitas. Vamos terminá-los, entregá-los e ainda tirar todas as palafitas do Recife, dando dignidade para essas famílias”.

Mendonça Filho também comentou o problema do saneamento básico na cidade.

“João campos votou contra o Marco legal do Saneamento, uma lei aprovada que promete revolucionar esse grave problema nacional. Boa parte do Recife vive na lama. Essa é a realidade de uma Prefeitura, como a do PSB, que gasta mais em publicidade do que em saneamento público.”

Da redação do Portal com informações da assessoria de Mendonça Filho 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal