Investigações

Lava Jato: PF cumpre mandados no Ceará e em mais dois estados contra marqueteiros por caixa 2

A Operação Marquetagem investiga condutas ilícitas de políticos e empresários que teriam atuado na liberação de créditos para programa em troca do recebimento de propina.

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (16), a Operação Marquetagem, mais uma fase da Operação Lava Jato Eleitoral, que investiga crimes ligados ao suposto caixa dois de R$ 25 milhões. A PF cumpriu 17 mandados de busca e apreensão nas cidades de Fortaleza, São Paulo e Salvador.

Os mandados são contra empresas de propaganda e marketing a partir de provas obtidas através da delação premiada dos irmãos Wesley e Joesley Batista, da J&F.

Segundo a polícia, as empresas teriam sido usadas para o recebimento de propinas por meio de simulação de serviços publicitários e da utilização de notas fiscais frias além de doações oficiais para campanhas eleitorais nos anos de 2010 e 2014.

“Condutas potencialmente ilícitas de agentes políticos e empresários envolvidos na liberação de créditos tributários oriundos do Programa de Incentivos às Atividades Portuárias e Industriais do Ceará – PROAPI, em troca do recebimento de propina”, explicou a PF.

Operação Marquetagem é fase da Operação Lava Jato Eleitoral. Foto: Divulgação/PF

A operação também busca apurar crimes de falsidade ideológica eleitoral, corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Em nota, a PF disse que “a operação foi batizada de Marquetagem, em alusão ao significado do termo que define o uso da publicidade distantes dos valores éticos”.

Ver mais: 

> Ex-deputado e procurador são alvos de operação da PF contra fraudes na Saúde de Roraima

> Bolsonaro diz que operação da PF em Roraima é um ‘orgulho’ para o governo

>> Corrupção na PF: operação mira em servidores e empresários envolvidos no pagamento de propina a policiais no Rio

 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com