Petição

Chico Rodrigues pode ser investigado pelo Conselho de Ética

O senador foi flagrado durante operação da PF com mais de R$ 30 mil na cueca.

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR) pode ser investigado pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado após ter sido um dos alvos da Operação Desvid-19, da Polícia Federal (PF), que investiga desvios de aproximadamente R$ 20 milhões em recursos públicos provenientes de emendas parlamentares. Os partidos Cidadania e Rede Sustentabilidade protocolaram nesta sexta-fira (16), uma petição pela cassação do mandato do senador.Chico Rodrigues, Chico Rodrigues pode ser investigado pelo Conselho de ÉticaChico Rodrigues, Chico Rodrigues pode ser investigado pelo Conselho de Ética

Agora, cabe ao presidente do Conselho de Ética, Jayme Campos (DEM-MT), decidir se aceita a representação no prazo de cinco dias úteis, de acordo com o Regimento Interno do Senado Federal.

Chico Rodrigues era um dos vice-líderes do governo no Senado, função da qual foi afastado após a operação da PF.

Leia também:

>>>Barroso proíbe divulgação do vídeo de senador com dinheiro na cueca
>>>Senador Chico Rodrigues é pernambucano formado na UFPE
>>>Crusoé relata que PF encontrou dinheiro escondido na cueca de senador
>>>Diário Oficial publica saída de senador da vice-liderança

Na quinta-feira, 15 de outubro, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso determinou o afastamento de Chico Rodrigues (DEM-RR) do cargo por 90 dias. Pela decisão do ministro, caberá ao Senado dar a palavra final sobre o afastamento do parlamentar.

Na representação, os partidos argumentam ainda que há fortes indícios de envolvimento de Chico Rodrigues em supostas fraudes relacionadas à aquisição de kits de teste rápido para detecção de covid-19.

“No último dia 14, foi amplamente noticiado um fato que envergonha o Senado como instituição da República, o cargo de senador da República e a sociedade brasileira como um todo. Como se não bastasse a vergonhosa alegação de que um senador da República se prestou a desviar dinheiro público em proveito pessoal, sobrevêm ainda dois fatos inquestionáveis, quais sejam de que ele: (1) obstruiu investigação e diligência policial e (2) ocultou valores em partes íntimas”, diz a petição.

Segundo Barroso, o afastamento de Rodrigues é necessário para evitar que o parlamentar use o cargo para dificultar as investigações.

“O afastamento de parlamentar do cargo é medida absolutamente excepcional, por representar restrição ao princípio democrático. No entanto, tal providência se justifica quando há graves indícios de que a posição de poder e prestígio de que desfruta o congressista é utilizada contra os interesses da própria sociedade que o elegeu. Não podemos enxergar essas ações como aceitáveis. Precisamos continuar no esforço de desnaturalização das coisas erradas no Brasil”, afirmou.

Na quarta-feira, 14 de outubro, a Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU) deflagraram a Operação Desvid-19, para investigar desvios de aproximadamente R$ 20 milhões em recursos públicos provenientes de emendas parlamentares, que seriam destinados à Secretaria de Saúde de Roraima para o combate à pandemia de covid-19. Rodrigues foi um dos alvos da ação e, durante as buscas e apreensões em Boa Vista, os agentes encontraram dinheiro vivo em posse do parlamentar.

Agência Brasil

Relembre o caso

O  agora vice-líder do governo, Chico Rodrigues foi alvo de uma operação da Polícia Federal que investiga o desvio de recursos públicos utilizados no enfrentamento do coronavírus.

A PF apreendeu cerca de R$ 30 mil na casa do parlamentar. A informação de que o senador tinha dinheiro guardado na cueca foi revelada pelo site da revista Crusoé.

Em nota, Rodrigues afirmou que não tem envolvimento com qualquer ato ilícito.

“A Polícia Federal cumpriu sua parte em fazer buscas em uma investigação na qual meu nome foi citado. No entanto, tive meu lar invadido por apenas ter feito meu trabalho como parlamentar, trazendo recursos para o combate à Covid-19 na saúde do estado”, disse o parlamentar.

Após o ocorrido, o presidente Jair Bolsonaro mandou afastar o vice-líder do governo no Senado, Chico Rodrigues, flagrado pela Polícia Federal com dinheiro nas nádegas.

De acordo com os assessores, o presidente pediu providências ao líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), para a saída do senador do grupo de vice-líderes.

Segundo relato do jornalista Daniel Adjuto, a Polícia Federal encontrou a quantia após o parlamentar perguntar ao delegado Wedson se poderia ir ao banheiro. Recebeu resposta positiva, mas que teria que ir acompanhado.

Após esse momento, o delegado “percebeu que havia um grande volume, em formato retangular, na parte traseira das vestes do senador”.

Ao ser questionado sobre o que estava carregando, o agora ex-vice-líder do governo no Senado ficou assustado e respondeu que não estava com nada. Com isso, o delegado decidiu realizar uma busca pessoal no senador.

“Num primeiro momento, foi encontrado no interior de sua cueca, próximo às suas nádegas, maços de $ que totalizaram R$ 15 mil”, relata.

Após o dinheiro ser encontrado, a polícia perguntou se Chico carregava mais alguma quantia.

“Ao ser indagado pela terceira vez, com bastante raiva, o senador Chico Rodrigues enfiou a mão em sua cueca, e sacou outros maços de dinheiro, que totalizaram a quantia de R$ 17.900,00”, diz um outro trecho do relato.

Em seguida, uma nova busca foi feita e os policiais encontraram mais R$ 250.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com