Rio de Janeiro

Justiça nega pedido de prisão domiciliar a filha de Roberto Jefferson

Cristiane Brasil está presa desde o dia 11 de setembro. Ela é investigada por suposto envolvimento em desvios em contratos de assistência social.

A Justiça do Rio de Janeiro negou, na última sexta-feira, 9 de outubro, o pedido de prisão domiciliar a ex-vereadora e ex-deputada federal Cristiane Brasil.

A filha do advogado Roberto Jefferson foi presa no dia 11 de setembro no âmbito da segunda fase da Operação Catarata, que apura desvios de aproximadamente R$ 120 milhões em contratos de assistência social que supostamente teriam acontecido entre os anos de 2013 e 2018.

No pedido, Cristiane Brasil alegou que faz parte do grupo de risco do novo coronavírus, mas a juíza Simone de Faria Ferrar, da 26ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro alegou informou que os relatórios médicos que comprovassem o transtorno não foram reunidos nos autos.

Leia também:

>>>Justiça decide que filha de Roberto Jefferson, Cristiane Brasil, continuará presa

A defesa da filha de Roberto Jefferson alegou que ela sofre de “transtorno misto depressivo ansioso”, fazendo uso de medicamentos e sendo acompanhada por médicos desde fevereiro de 2018.

Além da ex-deputada, o empresário Flávio Chadud também pediu prisão domiciliar, alegando as mesmas razões de Cristiane. Mas ele também não apresentou provas.

Apesar de negar os dois pedidos, a Justiça concedeu prisão domiciliar a outros dois investigados: o ex-delegado Maril Jamil Chadud, pai de Flávio, e João Marcos Borges Mattos, ex-diretor de administração financeira da Fundação Leão XIII. Eles serão monitorados por tornozeleiras eletrônicas.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com