Rio de Janeiro

Gabriel Monteiro diz que crime organizado pagou R$ 2 milhões para matá-lo

O youtuber disse que o valor foi pago após ele expor a contravenção e um tenente-coronel.

O youtuber e ex-policial militar Gabriel Monteiro usou as redes sociais, nesta quinta-feira (1°), para afirmar “que o crime organizado pagou R$ 2 milhões” por sua vida.

Segundo Gabriel, o valor foi pago após ele expor a contravenção e o tenente-coronel Balbino, do 19º Batalhão de Polícia Militar.

“Com provas quase inquestionáveis, faz parte de um dos maiores crimes organizados do Rio de Janeiro”, disse.

No vídeo publicado no Youtube, uma fonte confirma o que o ex-policial militar disse.”Botou um dinheiro na ‘cabeça’, entendeu? Botou dois milhões”.

Segundo o ex-policial militar, o coronel chegou a colocar uma viatura policial próximo do local onde mora.

“A minha vida mudou e mudou muito. Esse coronel colocou uma viatura quase que 24 horas ao lado da minha casa apenas para passar informações para a contravenção”, comentou.

Uma pessoa que se identifica como funcionária do 19°BP afirma, sem aparecer no vídeo, que o objetivo de ter colocado uma viatura policial próximo da residência de Gabriel era “dizer para onde ele está indo para a contravenção pegar ele”.

Gabriel encerra falando que não sabe se vai “chegar aos 30 anos de vida”, mas que tem certeza que não irá “negligenciar a chama que Deus colocou contra os criminosos em todas as esferas”.

Leia também:
>>>Gabriel Monteiro revela que recebeu uma nova ameaça de morte do Comando Vermelho
>>>Após ser reintegrado à PM, Gabriel Monteiro deixa corporação para ser candidato a vereador

Gabriel Monteiro deixa PM para ser candidato nas eleições

O policial militar Gabriel Monteiro se despediu da Polícia Militar do Rio de Janeiro, no último dia 14 de agosto, para seguir carreira política. O agente quer se candidatar a vereador. A saída ocorreu após uma semana que Gabriel retornou à corporação depois de ter sido expulso.

Gabriel também é youtuber. No vídeo divulgado em seu canal no Youtube, Gabriel disse que tinha a opção de sair da PM  de cabeça erguida ou então ser “destruído pelo sistema”.

“Realmente hoje é meu último serviço na Polícia Militar. Ou eu saio de cabeça erguida ou não terá outra opção, eu vou ser destruído pelo sistema. E já foi falado que minha destruição é certa. Então eu tenho que ser sábio e não deixar que pessoas que não são dignas acabem com minha história”, comunicou.

Gabriel foi desligado da PM no dia 4 de agosto, sob acusação de deserção. Ele denunciou a expulsão nas redes sociais e logo depois foi reintegrado à tropa, mas continuando a responder em liberdade pelo crime de deserção.

 

 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com