Negado

Flordelis: Justiça do RJ nega pedido de suspensão de uso de tornozeleira

Deputada entrou com pedido para evitar colocar o equipamento.

Nesta quinta-feira (24), a Justiça do Rio de Janeiro negou um pedido feito pela defesa da deputada federal Flordelis para suspender o uso de tornozeleira eletrônica por parte da parlamentar. A solicitação foi rejeitada pelo desembargador Celso Ferreira Filho, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio.

Em sua decisão, o magistrado afirmou que “apesar das alegações defensivas que a paciente não pretende furtar-se à instrução processual, informando a entrega de passaportes e relembrando do cumprimento escorreito da intimação em local e hora aprazados pela assessoria da paciente, pontuando a lisura de seu comportamento, não se tem qualquer evidência processual ou notícia jornalística, qual seja, que a ré tenha se apresentado espontaneamente para a colocação do equipamento, como determinado pela Autoridade Coatora, denotando tal comportamento recalcitrante que o monitoramento eletrônico decretado é realmente necessário”.

Leia também:

 

>>Flordelis usará tornozeleira eletrônica, após determinação judicial

>>Prisão de filho biológico de Flordelis é mantida pela Justiça

 

 

O uso da tornozeleira foi determinado pela juíza Nearis dos Santos Carvalho. Além da tornozeleira, a Justiça  ainda determinou que Flordelis cumpra um recolhimento domiciliar noturno, no período de 23h às 6h.

A deputada virou ré após a Justiça aceitar a denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) que apontou que a deputada foi a mandante do assassinato de Anderson. Ele foi morto após levar mais de 30 tiros na porta de casa.

 

 

Da redação do Portal de Prefeitura com informações do Pleno.news

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com