Alepe

Juntas: Processo administrativo contra Joel da Harpa e Clarissa Tércio é cobrado na Alepe

Os episódios que envolveram a interrupção da gravidez de uma menina de 10 anos no Recife, em agosto, repercutiram, mais uma vez, na Reunião Plenária da ALEPE.

Juntas: Processo administrativo contra Joel da Harpa e Clarissa Tércio é cobrado na Alepe

Processo administrativo contra Joel da Harpa e Clarissa Tércio é cobrado na Alepe. Foto Montagem/Portal de Prefeitura

Publicado em 12 de setembro de 2020 - 16:07

Por

Na ultima quinta-feira (10), a deputada Jô Cavalcanti, do mandato coletivo Juntas (PSOL), cobrou uma resposta da Mesa Diretora quanto ao pedido de instauração de processo administrativo contra Joel da Harpa (PP) e Clarissa Tércio (PSC). Os episódios que envolveram a interrupção da gravidez de uma menina de 10 anos no Recife, em agosto, repercutiram, mais uma vez, na Reunião Plenária. 

“Eles tentaram obter irregularmente informações sigilosas sobre a criança, fizeram barulho em frente à maternidade e obstruíram a entrada da unidade de saúde, entre outras atitudes que vão de encontro ao que a legislação admite a um parlamentar. Para nós, houve quebra de decoro, e a sociedade aguarda um posicionamento da Assembleia”, afirmou Jô Cavalcanti. 

Veja Mais

Deputada Clarissa Tércio e deputado Joel da Harpa são acusados por quebra de decoro parlamentar no caso do aborto em menina de 10 anos

      

‘Aborto é mais que necessário, é recomendado’, diz Mourão sobre caso de criança estuprada

 

A deputada informou que o pedido, realizado em 18 de agosto, foi subscrito pelo presidente estadual do PSOL, Severino Alves, com o apoio do mandato do vereador do Recife Ivan Moraes e da bancada do partido na Câmara Federal. Ela ressaltou, ainda, que mais de 50 entidades apoiaram a representação.

Segundo a deputada do mandato coletivo Juntas, as atitudes dos dois parlamentares tiveram o objetivo de impedir a execução de uma medida legal e judicial, que culminou com mais constrangimentos e dor para a criança e sua família.

“Elas deveriam estar seguras durante a realização do procedimento. O caso foi ideologizado, sendo ainda negligenciadas a laicidade do Estado e a determinação judicial embasada no Código Penal Brasileiro, instituído em 1940”, frisou a Parlamentar

Endenta o caso

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), a partir das codeputadas Juntas (PSOL/PE) e do presidente estadual do Partido, Severino Alves; com o apoio do mandato do vereador Ivan Moraes (PSOL/PE); e da bancada do partido na Câmara Federal, protocolou nesta terça-feira, dia 18 de agosto, na Comissão de Ética Parlamentar da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) um pedido de instauração de procedimento administrativo contra o deputado Joel da Harpa (PP) e contra a deputada Clarissa Tércio (PSC). Mais de 50 movimentos sociais subscrevem a representação.

Codeputadas do mandato coletivo Juntas. Foto: Divulgação/Rede Social

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com