Reunião

Presidente da ACS-PE participa de reunião na Secretaria de Administração

A reunião analisará a reforma da previdência e a garantia da integralidade e paridade.

Presidente da ACS-PE participa de reunião na Secretaria de Administração

Última reunião da categoria na Alepe/ Foto: Divulgação

Publicado em 9 de setembro de 2020 - 11:37

Por

O presidente da Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), Albérisson Carlos, e outras lideranças dos policiais e bombeiros militares participam de reunião nesta quarta- feira (9), a partir das 11h da manhã, de reunião na Secretaria de Administração, no Pina.

Algumas pautas serão analisadas na Secretaria de Administração serão: a reforma da previdência e a garantia da integralidade e paridade, além da questão das faixas salariais A, B,C,D, E.

A reunião foi agendada após ato público da categoria, a qual resultou no adiamento da segunda votação do projeto do Governo do Estado, na Assembleia Legislativa.

A proposta do Executivo, já aprovada em primeira votação, a reforma da previdência federal a realidade do estado. No entanto, a integralidade e paridade fixaram de fora.

“A Associação foi convocada pela Assembleia Legislativa através do presidente Eriberto Medeiros para participar da reunião que vai tratar sobre a questão dos descontos previdenciários, paridade e integralidade”, disse Albérisson.

Albérisson reclama da falta reajuste nos salários dos Militares

Albérisson reclamou sobre a falta de reajuste salarial dos Policiais Militares em Pernambuco. Segundo o presidente, em 2019 o salário de um soldado era de R$ 2.819,88, e atualmente, o soldado que ingressa na Polícia na letra A, recebe os mesmos, R$ 2.819,88.

Algumas pessoas perguntaram se seria bom receber como subsídio, Albérisson afirmou que ao ler sobre o lote “se o subsídio fosse ruim, o juiz, o desembargador, os políticos e magistrados de maneira geral, não iriam querer receber em forma de subsídio”.

Ao falar sobre o salário do Polícia Militar em Goiás, o Diretor Jurídico da ANERMB, Luís Claudio Coelho afirmou que os salários dos Polícias em Pernambuco é muito menor do que o valor recebido pelo Militar em Goiás.

“Nós vinhemos resolver nossa situação em 2006, quando nós abolimos divisões de classes: soldado A, B, C ou nível 1,2, 3. Acabamos com isso.  Criou o subsídio. Quando criou o subsídio em 2006, que um soldado em Goiás ganhava R$ 2.711,00. Hoje, o cara passa no concurso para soldado, vai para Academia, como segunda classe, ganhando R$ 6.350,00”, explicou.

Veja essas e mais notícias em:

Posts Relacionados




WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com