Crítica

Hasselmann: “Bolsonaro não era ninguém. Bateu na minha porta pedindo ajuda”

Pré-candidata a prefeita de São Paulo falou que saída da base aliada de Bolsonaro foi “pesada”.

Hasselmann: “Bolsonaro não era ninguém. Bateu na minha porta pedindo ajuda”

Deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) ao lado do presidente Jair Bolsonaro, durante reunião no Palácio do Planalto. Foto: Marcos Corrêa/PR

Publicado em 4 de setembro de 2020 - 10:49

Por

Em entrevista ao programa Band Eleições, nesta quinta-feira (3), a deputada federal e pré-candidata a prefeita de São Paulo, Joice Hasselmann (PSL), falou sobre sus propostas, caso seja eleita, e relatou a tumultuada saída da base aliada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Hasselmann disse não ter se arrependido de ter apoiado Bolsonaro um dia, pois ela o via como uma opção para tirar o PT do poder. No entanto, a parlamentar conta que via coisas acontecendo no governo que iam de contra ao que ela acredita.

“Foi uma saída pesada”, definiu. “Eu não me arrependi do apoio porque eu estava na luta para tirar o PT do poder (…) [mas] comecei a ver coisas acontecendo dentro do governo que iam contra as bandeiras que eu defendia. Quando comecei a apoiar o presidente ele não era ninguém. Tinha 3% de apoio. Ele bateu na minha porta pedindo ajuda. Eu não entrei na onda Bolsonaro, nós criamos essa onda juntos, mas o presidente acabou rompendo com bandeiras como o combate contra a corrupção”, explicou.

Joice era líder do governo na Câmara antes de romper com o presidente. Ela foi substituída pelo deputado Ricardo Barros (PP-PR).

Filhos de Bolsonaro

Hasselmann criticou também os filhos do chefe de Estado, os quais ela se referiu como “desgaste” do governo.

“Eu entendo que boa parte desse desgaste é por parte dos filhos dele, com quem eu nunca tive boa relação (…) eu quero que o governo dê certo, só queria que o presidente desse férias para os três filhos para que o País possa andar melhor”, completou.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com