Bolsonaro

Governo reforça fala de Bolsonaro: ‘ninguém é obrigado a tomar vacina’

Fala do presidente foi reproduzida nas redes sociais.

A Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) reforçou na terça terça-feira (1º), uma fala do presidente Jair Bolsonaro sobre a distribuição de vacinas contra Covid-19. “Ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina”, reproduziu.

Em fevereiro, no entanto, o próprio Bolsonaro sancionou lei que permite a vacinação compulsória como forma de enfrentar a pandemia da covid-19. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) também determina ser “obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias”.

Na postagem, a Secom também afirma que “o governo do Brasil preza pela liberdade dos brasileiros”. “O Governo do Brasil investiu bilhões de reais para salvar vidas e preservar empregos. Estabeleceu parceria e investirá na produção de vacina. Recursos para estados e municípios, saúde, economia, TUDO será feito, mas impor obrigações definitivamente não está nos planos”.

Da redação do Portal com informações do Estadão

No Brasil, vacina contra a Covid-19 será distribuída no início de 2021

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, e a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade Lima, discutiram na segunda-feira, dia 31 de agosto, formas de acelerar o cronograma da produção da vacina contra a covid-19 no Brasil. A vacina resultará de acordo entre a Fiocruz, a empresa biofarmacêutica global AstraZeneca e a Universidade de Oxford.Bolsonaro, Governo reforça fala de Bolsonaro: ‘ninguém é obrigado a tomar vacina’Bolsonaro, Governo reforça fala de Bolsonaro: ‘ninguém é obrigado a tomar vacina’

A parceria prevê a assinatura, na primeira semana de setembro, de um acordo de encomenda tecnológica e desenvolvimento de uma plataforma para fabricação de outras vacinas, como a da malária.

Anunciado em 27 de junho pelo Ministério da Saúde, o acordo resulta de tratativas entre os governos do Brasil e do Reino Unido. O governo federal liberou crédito extraordinário de R$ 1,9 bilhão para produção e aquisição da vacina contra a covid-19 produzida pelo laboratório AstraZeneca e Universidade de Oxford.

Pelas previsões, as primeiras doses da vacina contra a covid-19 deverão ser distribuídas no início de 2021, por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI), que atende o Sistema Único de Saúde (SUS).

No encontro com a presidente da Fiocruz, Pazuello disse que o ministério corre para acelerar o processo e disponibilizar, o mais rápido possível, a vacina que imunizará os brasileiros contra a covid-19.

 

 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com