Exposição

Em meio a discussão antiaborto, Sara Winter divulga nome da menina que precisou interromper a gravidez

Outras informações como o endereço onde foi realizada a interrupção da gestação e o nome do médico também foram expostas na internet.

A militante Sara  Giromini, conhecida como Sara “Winter”, se envolveu em mais uma polêmica neste domingo (16). Ela divulgou a identidade da menina que ficou grávida após sofrer estupro pelo próprio tio e que precisou ser submetida a um aborto. Ao expor o nome da criança, Sara Winter desrespeitou o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que garante o anonimato a menores vítimas de violência.

Sara Winter, que já foi presa em junho por participar nos chamados “atos antidemocráticos”, que pediam fechamento do STF e do Congresso, corre risco de voltar à prisão depois de ter divulgado o nome da menina. Ela, inclusive está usando tornozeleira desde que foi libertada.

Winter teria usado um perfil alternativo para expor as informações, visto que, ela teve as contas nas redes sociais suspensas após determinação de Alexandre de Moraes.

Apesar das manifestações antiabortos realizadas ontem, a interrupção foi realizada no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), no Recife.

Entenda o caso

O caso aconteceu na cidade de São Mateus, no Norte do Espírito Santo, a 215 quilômetros de Vitória, capital do Estado. A Justiça Capixaba autorizou o procedimento na última sexta-feira (14/8) e a criança foi transferida para realizá-lo no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), no Recife.

A jovem teve o atendimento negado na unidade de referência do Estado onde reside, apesar de a legislação prever a interrupção da gravidez em caso de violência sexual, e, por esse motivo, precisou vir a Pernambuco para realizar a interrupção da gravidez.

Comentários estão fechados.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com