Culpa

Mandetta diz que fator Bolsonaro “foi preponderante” para Brasil chegar a 100 mil mortes por Covid-19

Na avaliação do ex-ministro da Saúde, Bolsonaro incentivou, de forma política, para que as pessoas não ficassem em casa.

O ex-ministro da Saúde, Henrique Mandetta, voltou a criticar o presidente Jair Bolsonaro no que diz respeito a pandemia do novo coronavírus. Após o Brasil superar a marca de 100 mil mortes pela Covid-19, Mandetta responsabilizou o governo pelas vidas perdidas.

Mandetta que deixou o cargo em abril desse ano, avaliou que houve vários fatores que culminaram nos 100 mil óbitos, mas o fator “presidente foi preponderante”. A informação é da Folha de São Paulo.

“Houve uma série de fatores, mas o fator presidente foi preponderante. Ele deu argumento para as pessoas não ficarem em casa. Ele deu esse exemplo e serviu de passaporte para as pessoas aderirem politicamente a essa ideia”, disse ele.

Para Mandetta, o alto número de pessoas na economia informal e a pressão provocada pelas eleições municipais também pesaram para uma adesão menor ao isolamento. “[Prefeitos] veem a popularidade diminuir, e como tem um contraponto político feito pelo presidente, ficam pressionados.”

Mandetta também falou da troca de ministros no Ministério da Saúde.

“Foi uma somatória de fatores, mas principalmente liderados pela posição do governo, que trocou dois ministros e botou um terceiro que fez uma ocupação militar, sem técnicos na Saúde”

 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com