Acusação

Sindicatos acusam Bolsonaro de genocídio em tribunal internacional

A denunciada foi protocolada por mais de 60 organizações sindicais e movimentos sociais.

O Tribunal Penal Internacional de Haia, que julga crimes de genocídio e que vão de desacordo com os direitos humanos, recebeu uma denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro por suposto crime contra a humanidade durante a pandemia.

A denúncia, protocolada por mais de 60 entidades entre sindicalistas e movimentos sociais, aponta Bolsonaro como um presidente que “incentivou” atitudes de risco à população, quando participou de protestos em favor dele mesmo, por exemplo.

Profissionais da saúde, representada pela A Rede Sindical Brasileira Unisaúde, também assinam o documento. Eles criticam Bolsonaro por não ter seguido os protocolos de segurança, como o uso de máscaras para evitar a contaminação do coronavírus. Além disso, a denúncia cita quando Bolsonaro chamou a doença de “gripizinha”.

“Essa atitude de menosprezo, descaso, negacionismo, trouxe consequências desastrosas, com consequente crescimento da disseminação, total estrangulamento dos serviços de saúde, que se viu sem as mínimas condições de prestar assistência às populações, advindo disso, mortes sem mais controles”, diz a denúncia que contém cerca de 64 páginas.

A Unisaúde é gerenciada ela UNI Americas, um braço regional da UNI Global Union, federação sindical que representa mais de 20 milhões de trabalhadores do setor de serviços em cerca de 150 países.

 

Comentários estão fechados.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com