Operação

Polícia Civil cumpre mandados de prisão contra integrantes de organização criminosa na prefeitura do Rio

De acordo com as investigações, cinco suspeitos de desviar R$ 6,5 milhões em contratos da Organização Social Iabas, teriam atuado juntamente com as gestões do ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes, e do atual, Marcelo Crivella.

Em parceria com Ministério Público do Rio, a Polícia Civil deflagrou, na manhã desta quinta-feira (23), uma operação que tem como alvos integrantes de uma suposta organização criminosa atuante no Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde. De acordo com as investigações, os suspeitos teriam desviado cerca de R$ 6,5 milhões em contratos da Organização Social Iabas juntamente com a prefeitura do Rio de Janeiro, cuja gestão atual é comandada por Marcelo Crivella.

Entre os nomes dos envolvidos, estão os de Luiz Eduardo Cruz, ex-controlador do Iabas, e sua mulher, Simone, conforme informou o G1. Ambos teriam participado dos desvios tanto agora, durante a gestão de Crivella, quanto na gestão do ex-prefeito Eduardo Paes.

Segundo a força-tarefa, a antiga gestão do Iabas recebeu, entre os anos de 2009 e início de 2019 – nos mandatos de Eduardo Paes e Marcelo Crivella -, R$ 4,3 bilhões em recursos públicos, dos quais os R$ 6,5 milhões teriam sido desviados. Ainda não se sabe quando esse esquema começou.

Além do casal, foram presos também  Adriane Pereira Reis; Marcos Duarte da Cruz, meio-irmão de Luiz; e o empresário Francesco Favorito Sciammarella Neto. Luiz Eduardo era, segundo o MP, o “administrador oculto da organização do Iabas”.

Outros mandados de busca e apreensão foram cumpridos nos endereços ligados aos denunciados e a outros fornecedores da OS.

O Iabas já é alvo de investigação no governo do Estado do Rio de Janeiro, em razão de irregularidades dos contratos referentes a instalação e gestão de hospitais de campanha para o enfrentamento da Covid-19.

Comentários estão fechados.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com