Recife

Samu Recife registra queda de 66% nos atendimentos a casos suspeitos de covid-19

De acordo com os dados da Secretaria de Saúde do Recife (Sesau), o envio de ambulâncias do Samu Recife acompanha o crescimento e a desaceleração da curva epidêmica.

Durante os últimos cinco meses, a Prefeitura do Recife registrou o maior número de atendimentos desde a criação do Samu Metropolitano do Recife, a maioria deles feitas a pessoas com suspeita de covid-19, em decorrência da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Desde quando chegou à capital pernambucana a primeira paciente com suspeita de covid-19, no fim de fevereiro, até essa segunda-feira (20), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) registrou 9.274 ocorrências por causas respiratórias, que geraram 4.168 atendimentos a pessoas com suspeita de covid-19.

O prefeito Geraldo Julio (PSB) destacou, na manhã desta terça-feira (21), que os atendimentos do Samu caíram 66%, em comparação com o pico da pandemia na cidade, em maio, quando a média semanal foi de 377 atendimentos, para este mês de julho com 127 atendimentos de média.

“Registramos uma redução de 66% nos acionamentos do Samu para causas respiratórias, comparando as semanas do mês de julho com as semanas do mês de maio, quando foi o pico da covid em nossa cidade. Esse é mais um indicador que a gente mede permanentemente para acompanhar a evolução da doença aqui no Recife”, disse o prefeito Geraldo Julio.

Em março, foram enviadas 403 ambulâncias para socorro a pacientes com sintomas respiratórios, 935 em abril, 1.673 em maio e 778 em junho. Até esta segunda (20), foram enviadas 346 ambulâncias para socorro a casos suspeitos de covid, neste mês de julho.

A média semanal de envio de ambulâncias para socorro a casos suspeitos de covid no pico da pandemia, em maio, chegou a 377 atendimentos. Agora, após dois meses de queda em todos os indicadores da pandemia, a média semanal de atendimentos a casos suspeitos de covid está em 127, o que representa uma redução de 66% no envio de ambulâncias para socorro a pessoas com sintomas respiratórios.

Samu Recife – Foto: Andréa Rêgo Barros

Em maio, o Samu Metropolitano do Recife chegou a acionar as ambulâncias 80 vezes em um único dia, para prestar socorro a pessoas com problemas respiratórios. Em junho, esse número caiu para cerca de 30, uma redução de mais de 60%. Da mesma forma o acionamento das UTIs móveis para os casos mais graves chegou a cerca de 20 por dia nas primeiras semanas de maio e, atualmente, está abaixo de cinco acionamentos diários.

O Samu tornou-se a porta de entrada para pacientes com sintomas respiratórios, bem como o responsável pelo transporte entre as unidades que fazem o primeiro atendimento, como as emergências das policlínicas e os hospitais de referência para enfrentamento à covid-19.

Para dar conta do aumento de demandas, a Secretaria de Saúde do Recife reforçou o quadro de profissionais do Samu 192, com 200 novos contratados emergencialmente, saltando de 600 para 800 trabalhadores, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, condutores socorristas e quadro administrativo.

O Samu Recife ainda lançou mão de plantões extraordinários para ampliação do serviço e implantação de novas atividades.

Samu Recife – Foto: Andréa Rêgo Barros

A frota de veículos do Samu 192 também foi expandida, contando atualmente com 30 ambulâncias para atender as ocorrências no Recife, das quais 24 são Unidades de Suporte Básico e seis são Unidades de Suporte Avançado (UTIs móveis).

Além disso, para instruir os profissionais de saúde a distância, a Secretaria de Saúde disponibilizou, no mês de abril, o site “Aprenda em Todo Lugar” (www.aprendaemtodolugar.recife.pe.gov.br), que traz orientações sobre os protocolos de atendimentos aos casos de covid-19 e uso correto e seguro dos EPIs.

Da redação do Portal com informações da Prefeitura do Recife

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com