Recife

Protesto: enfermeiros da rede municipal do Recife reivindicam reajuste salarial e melhores condições de trabalho

Ato teve início às 09h00 desta sexta-feira (9) na Praça do Derby. Os profissionais que trabalham na linha de frente no combate ao coronavírus cobraram mais ações da Prefeitura do Recife.

Protesto: enfermeiros da rede municipal do Recife reivindicam reajuste salarial e melhores condições de trabalho

Enfermeiros em protesto no Recife. Foto: Cortesia

Publicado em 10 de julho de 2020 - 12:51

Por

Um ato para chamar atenção à desvalorização dos profissionais da saúde no Recife foi organizado por cerca de 70 enfermeiros. Eles se reuniram na manhã desta sexta-feira (10), com o objetivo de cobrar da Prefeitura do Recife, melhores condições de trabalho e reajuste salarial. Os profissionais trabalham na linha de frente no combate à Covid-19 e reclamam das dificuldades no trabalho, além da falta de qualidade dos EPIs que são distribuídos pela prefeitura.

“Falam que somos heróis, mas não valorizam os profissionais”, desabafou a presidente do Sindicato de Enfermeiros de Pernambuco, Luciana Outtes, ao Jornal do Commércio.

A capital de Pernambuco tem hoje 22.298 casos confirmados de Covid-19 e 1.946 mortes. De acordo com a reportagem, Luciana disse que desde março foi feito um acordo com a prefeitura para haver um reajuste na remuneração e na gratificação. Porém a proposta da prefeitura ficou apenas na promessa. Essa queixa foi o principal ponto reivindicado no ato de hoje. Outra questão apontada pela presidente do sindicado é o pagamento de 40% da insalubridade, um direito devido aos riscos de trabalho.

Segurança no trabalho

A precariedade de materiais de proteção individual foi um dos assuntos levantados na manifestação. Segundo os enfermeiros, no caso das máscaras, seriam de qualidade inferior, colocando em risco a saúde dos profissionais. As máscaras são fundamentais nesse período de pandemia.

 “Não existe qualidade nos EPIs distribuídos pela prefeitura. Entramos com um processo no Ministério Público do Trabalho solicitando um parecer, que foi dado, afirmando que as máscaras artesanais não protegem os profissionais o suficiente”, afirmou. As máscara fornecidas pela prefeitura até então, são feitas de TNT, quando deveriam ser máscaras N95 ou PFF2, materiais recomendados pela ANVISA.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com