Investigação

Membro do MBL que foi preso trabalhou no governo Doria por um ano com salário de R$ 17,3 mil

Alessander é acusado de abrir duas empresas de fachada e de fazer doações ao MBL pelo sistema de pagamentos do Google.

Membro do MBL que foi preso trabalhou no governo Doria por um ano com salário de R$ 17,3 mil

Foto: Reprodução/Twitter

Publicado em 10 de julho de 2020 - 14:16

Por

Alessander Monaco Ferreira, preso nesta sexta-feira (10), trabalhou durante um ano no governo de João Doria.  Ele foi comissionado da Imprensa Oficial do estado de fevereiro do ano passado a janeiro deste ano, com salário de R$ 17,3 mil, informou o site O Antagonista. Alessander é investigado pelo Ministério Público de São Paulo por lavagem de dinheiro em inquérito que apura movimentações financeiras suspeitas ligadas ao MBL.

Segundo o MP, Alessander Ferreira “solicitou emprego e foi contratado pelo governo do estado de SP”. O grupo de direita nega. Ele ficou lotado num departamento chamado Comissão de Avaliação de Documentos e Acesso da Imprensa Oficial (Cada). A Imprensa Oficial paulista, confirmou que Ferreira trabalhou em projetos de arquivamento e classificação de documentos e guarda digital de dados.

Alessander também é acusado de abrir duas empresas de fachada e de fazer doações ao MBL pelo Google Pagamentos. Para o MP, ele tinha um cargo cuja função é eliminar documentos públicos.

*Com informações de O Antagonista

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com