Recife

Prefeitura do Recife abre 29 UTIs e desativa 90 enfermarias em hospitais de campanha

Prefeito Geraldo Julio fez o anúncio na manhã desta terça-feira (7). Reorganização tem o objetivo de focar na abertura de leitos de UTI, mais demandados pelo sistema de saúde.

Prefeitura do Recife abre 29 UTIs e desativa 90 enfermarias em hospitais de campanha

Prefeitura do Recife desinstala 90 enfermarias em segunda fase da reorganização da rede/ Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

Publicado em 7 de julho de 2020 - 18:04

Por

A Prefeitura do Recife desativa, a partir desta terça-feira (7), mais 90 leitos de enfermaria no hospital de campanha dos Coelhos e abre mais 29 UTIs nos hospital da Rua da Aurora, em Santo Amaro. Com isso, a PCR chega a 342 UTIs em funcionamento, ultrapassando o número de 334 anteriormente previsto.

O anúncio da segunda fase de readequação dos leitos municipais para pacientes com covid-19 foi feito pelo prefeito Geraldo Julio nesta terça-feira (7), quando 65% dos 168 pacientes internados nas UTIs municipais são de outras cidades.

A montagem rápida de leitos de UTI feita pela Prefeitura do Recife evitou que profissionais de saúde precisassem fazer a escolha de qual paciente receberia o atendimento, como aconteceu em outros locais, e o foco no atendimento especializado tem o objetivo de manter a oferta de vagas de UTIs, que são mais procuradas.

“Anunciamos a segunda etapa da reorganização da nossa rede emergencial dos hospitais de campanha. No primeiro momento nós desativamos leitos de enfermaria e ampliamos os de UTIs. Agora vamos repetir, fazendo a desativação de 90 leitos de enfermaria na unidade dos Coelhos, o que vai permitir a abertura de 29 novos leitos de terapia intensiva, fazendo a gente chegar a 342 leitos de UTI em nossos hospitais de campanha. Os leitos de UTI vêm cumprindo um papel fundamental no enfrentamento a covid e a gente conseguiu evitar que aqui no Recife, víssemos situações que foram vividas em outros locais do mundo e do Brasil, em que os profissionais de saúde tiveram que fazer a escolha de qual paciente vai ficar sem atendimento. Isso tudo foi evitado aqui e essa reorganização vai possibilitar realocar profissionais e equipamentos para esses novos leitos de UTI”, destacou o prefeito Geraldo Julio.

A capital, que já chegou a ser responsável, em abril, por 54% dos casos de covid-19 de Pernambuco, fechou o mês de junho com 21% de todos os novos casos do Estado.

Depois de mais de um mês e meio seguido de queda nos casos, a Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife desativou um total de 300 enfermarias e abriu 53 UTIs nas últimas semanas, já que, na atual situação da pandemia, a demanda maior tem sido por leitos de terapia intensiva. Com a reorganização, a gestão municipal fica com 724 leitos em funcionamento, sendo 342 de UTI e 382 de enfermaria.

O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, explicou a importância do atendimento especializado nos casos mais graves de covid-19.

“O anúncio das medidas de reorganização da rede de saúde do Recife neste momento fortalece os leitos de maior complexidade, que são os leitos de UTI. Porque quando o paciente de covid complica e às vezes em casos muito graves, envolve muitos órgãos, como inflamação de pulmão, pode envolver os fenômenos de coagulação do sangue, inclusive com complicações renais. No leito de terapia intensiva, além da entubação que usa o respirador mecânico, este leito conta com a equipe técnica especializada que é possível inclusive fazer hemodiálise. Então são leitos mais complexos, mais resolutivos. Neste momento, nós atingimos 342 leitos de UTI, superando a meta de 334 leitos e hoje a 168 pessoas lutando pela vida no leito de terapia intensiva da Prefeitura, sendo que 58 do Recife e 110 de outros municípios”, explicou.

O HPR 1, da Rua da Aurora, fica com 100 UTIs e 60 enfermarias ativas. Na última semana, também foram abertos leitos para suporte aos pacientes em estado mais grave no Hospital Evangélico de Pernambuco e nos hospitais de campanha dos Coelhos, da Imbiribeira e do Hospital da Mulher do Recife (Curado).

Maior hospital de campanha municipal, o Hospital Provisório Recife (HPR) 2, nos Coelhos, que tinha 250 leitos de enfermaria, continua com 160 em funcionamento, além de 100 UTIs.

Na semana passada, também foram fechadas enfermarias nos hospitais de campanha montados na área externa das policlínicas Amaury Coutinho (Campina do Barreto), Arnaldo Marques (Ibura) e Barros Lima (Casa Amarela), além do Hospital da Mulher. Ainda assim, de acordo com a Secretária Estadual de Saúde (SES), ainda há vagas em 55% dos leitos de enfermaria de Pernambuco.

Também foram reduzidas de 22 para 20 as unidades de referência da Atenção Básica para atendimento de pacientes com suspeita de covid-19.

Os equipamento médico-hospitalares retirados dos leitos desativados estão sendo levados para outras unidades que serão entregues pela Prefeitura do Recife este ano, como o Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa, em Areias, e a Unidade Pública de Atendimento Especializado (UPAE) do Ibura, assim como para as maternidades municipais.

Outra parte dos materiais ficará temporariamente guardada em galpões para caso a curva epidêmica volte a subir e a Secretaria de Saúde do Recife identifique que é necessário abrir mais leitos municipais.

Nos sete hospitais de campanha municipais e nas outras duas unidades com leitos municipais para covid-19, foram feitos mais de 11.900 atendimentos, 4.100 internações e foram dadas mais de 1.900 altas.

Da redação do Portal com informações da Prefeitura do Recife

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com