Apoio

PT decide apoiar pré-candidatura de João Paulo à Prefeitura de Olinda

A decisão foi tomada durante reunião por videoconferência na manhã deste sábado (4).

PT decide apoiar pré-candidatura de João Paulo à Prefeitura de Olinda

O deputado estadual João Paulo/ Foto: Alepe

Publicado em 5 de julho de 2020 - 11:38

Por

O Partido dos Trabalhadores (PT) decidiu no sábado (4) que vai apoiar a pré-candidatura do deputado estadual João Paulo (PCdoB) à Prefeitura de Olinda.

João Paulo foi ex-prefeito do Recife (2001-2008), quando ainda estava no PT, mas deixou o partido em abril de 2018.

A decisão foi tomada durante reunião por videoconferência na manhã deste sábado (4), com a participação de nomes como o senador Humberto Costa, a vice-presidente do Fundação Perseu Abramo, Vivian Farias, e o presidente do diretório municipal do PT em Olinda, Lulinha.

Lulinha explicou que o apoio foi motivado pela busca por uma aliança política antibolsonarista na cidade.

“A gente tinha duas candidaturas possíveis, do PSB e do PCdoB. Fomos negociando com os partidos de esquerda da cidade e afunilando até chegar o momento em que decidimos que nosso candidato seria João Paulo”, disse.

“Além de ser um companheiro, ele representa a esquerda não só em Olinda mas no Estado inteiro. Ele fez uma revolução durante sua gestão no Recife, sendo responsável pelo carnaval multicultural da cidade e ações nos morros. Com muito agrado, deliberamos essa decisão importante para Olinda em uma candidatura unificada como projeto político”, acrescentou o dirigente.

Para Teresa Leitão ‘faltou diálogo’

Segundo a deputada Teresa Leitão, que concorreu as eleições municipais de Olinda em 2016, havia outras duas posições em debate.

“A tese da candidatura própria, que se fosse votada teria 17 votos e a tese da aliança, que se fosse votada teria 20 votos. Para aliança os partidos mais fortes eram o PCdoB com João Paulo e o PSB com Pedro Mendes. Diante desta divisão tão apertada, foi aberto o processo de diálogo, que infelizmente não prosperou, ou melhor dizendo, não ocorreu”, afirmou.

Na avaliação dela, faltou diálogo no processo que levou à aliança.

“Na véspera do encontro, representantes da tese da candidatura própria receberam um telefonema do presidente municipal do PT, no final da tarde, informando que o encontro estava mantido e que eles iriam defender a aliança com o PCdoB. Diante do desrespeito político e do regulamento interno do PT, o grupo optou por não legitimar o encontro. Na minha avaliação, João Paulo começa menor politicamente do que poderia ser”, disse.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com