Pedido

Grupo pede reabertura das praias em protesto em Boa Viagem, no Recife

Durante o evento, uma pessoa chegou a ser detida após ser abordada pela Polícia Militar, de acordo com uma das manifestantes.

Grupo pede reabertura das praias em protesto em Boa Viagem, no Recife

O ato aconteceu na praia de Boa Viagem, na manhã deste domingo (7)/ Foto: Divulgação

Publicado em 8 de junho de 2020 - 11:46

Por

Um grupo realizou um ato, na manhã deste domingo (7), para as “retomada às praias”, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife.

O homem, de 54 anos, foi encaminhado para a delegacia de Boa Viagem, onde foi feito um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e ele foi liberado.

O acesso ao calçadão, praias e parques está restrito desde o mês de abril, devido à pandemia do novo coronavírus. As únicas atividades permitidas são a pesca artesanal e profissional.

O bloqueio das praias está previsto no decreto estadual nº 49.055, do dia 31 de maio.

“Nós resolvemos ir com as nossas varas de pesca, fazer alongamento, receber vitamina D, por causa da nossa saúde, tanto física quanto mental. Tem gente adoecendo pela falta de vitamina D. Não foi um ato de protesto, não foi de repúdio, foi apenas de retomada das praias”, declara a funcionária pública Sandra Queiroz, de 52 anos, que participou do ato.

Segundo ela, um homem, que também apoiava a causa, estava se dirigindo à praia com a vara quando foi abordado por um policial militar.

“Ele foi interceptado por um policial que perguntou o que ele ia pescar. Ele disse ‘minha liberdade’. O policial não gostou e, por causa disso, falou que o rapaz estava preso”, afirma Sandra.

Por meio de uma nota, a Polícia Civil informou que o homem foi levado à delegacia depois de “não atender às reiteradas solicitações de policiais militares para que deixasse a faixa de areia”. A ocorrência foi registrada como infração de medida sanitária preventiva, pelo descumprimento do decreto estadual nº 49.055, de 11 de maio de 2020.

“Como forma de burlar as medidas sanitárias, alguns manifestantes se passaram por pescadores. Amparavam-se no fato de a pesca artesanal e profissional estar liberada por decreto estadual. Porém, como não estavam realizando essa atividade, apenas portando varas como forma de simular a prática, além de estarem aglomerados em número superior a 10 pessoas, a PMPE teve que intervir no sentido de desocupar a faixa de areia, exigir uso de máscara e o distanciamento recomendado”, diz a nota.

De acordo com a polícia, desde o dia 18 de março deste ano, 600 pessoas já foram conduzidas para delegacias de Pernambuco.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com