Crítica

Teresa Leitão critica postura de Bolsonaro diante da pandemia

“Ele debocha da ciência, da Organização Mundial da Saúde (OMS), desconhece as experiências internacionais que deram certo e tenta impedir a autonomia de Estados e municípios em relação à gestão da crise, disse a Parlamentar

Teresa Leitão critica postura de Bolsonaro diante da pandemia

Foto: Roberto Soares/Alepe

Publicado em 21 de maio de 2020 - 22:34

Por

A situação política do País, após o advento da pandemia do novo coronavírus, foi comentada pela deputada Teresa Leitão (PT), durante a Reunião Plenária desta quinta (21). A parlamentar afirmou que, após 60 dias de isolamento social, o cenário revela, de um lado, governadores e prefeitos lutando para garantir a sanidade em seus territórios, e do outro, o presidente Jair Bolsonaro que, além de adotar uma postura contrária às evidências científicas mundiais, ainda “tenta impedir os gestores de agir corretamente”.

Para a petista, o presidente do Brasil tem três obsessões: acabar com o isolamento social, disseminar o uso da cloroquina e liberar o funcionamento de todas as cadeias produtivas. “Ele debocha da ciência, da Organização Mundial da Saúde (OMS), desconhece as experiências internacionais que deram certo e tenta impedir a autonomia de Estados e municípios em relação à gestão da crise. Ainda por cima, estimula e participa de atos públicos, desrespeita os poderes e a imprensa e todas as suas falas contêm um ingrediente peculiar, que é o ódio – mesmo que, ao final, sempre cite: ‘Deus acima de tudo’”, criticou.

Na avaliação de Teresa, por querer estimular o uso indiscriminado da cloroquina nos tratamentos médicos, Bolsonaro já demitiu dois ministros da Saúde. “Esse protocolo que foi anunciado pelo Governo Federal não possui assinatura de nenhum médico e, ao final, informa que o paciente é quem assume o risco de tomar o medicamento”, lamentou, frisando que o presidente não tem conhecimento científico para prescrever medicamentos: “Ele só entende de ódio, de tortura e de ataques”. 

A parlamentar acredita que a eficiência do lockdownque está com uma média de 53,1% em Pernambuco, frustrou o mandatário da nação. “Todos os médicos garantem que o que tem salvado vidas são isolamento, ações nos hospitais e a dedicação dos profissionais de saúde. Vamos continuar nesse caminho”, enfatizou.

Da Redação do Portal com Informações da ALEPE

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com