Racha

Aliança pelo Brasil em Pernambuco está rachado: Coronel Meira x Gilson Machado

Uma live feita pelo partido no último dia 13 pode ter gerado um conflito entre dois nomes bolsonaristas de Pernambuco.

Aliança pelo Brasil em Pernambuco está rachado: Coronel Meira x Gilson Machado

O presidente da Embratur Gilson Machado, o presidente Jair Bolsonaro e o Coronel Meira/ Foto: Divulgação

Publicado em 15 de maio de 2020 - 14:18

Por

O Aliança pelo Brasil em Pernambuco está vivendo um momento de instabilidade. Isso porque o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto e o Coronel Meira, dois líderes de movimentos do Aliança pelo Brasil, novo partido do presidente Jair Bolsonaro, em Pernambuco, se estranharam nos últimos dias.

O “racha” acontece porque Gilson e Meira vem recolhendo assinaturas para o Aliança pelo Brasil no Estado. O que fez o Coronel sair na frente para ser o futuro presidente do partido em Pernambuco. Inclusive, o Coronel é pré-candidato a vereador e se filiou ao Partido Social Cristão (PSC), junto com Gilson Machado.

No último dia 13 de maio, em live nacional do Aliança pelo Brasil, entrou Osvaldo Neto, o que teria causado estranhamento de Meira, mas o presidente da Embratur, afirmou que não pediu que fosse incluído a presença de Osvaldo na live e Meira teria ligado para Gilson para que fosse retirado Osvaldo da live, porque ele também será candidato a vereador no Recife.

“Pra encerrar, eu nunca pedi ao Comitê Nacional do Aliança Pelo Brasil que incluísse na “live” de ontem, dia 13, o nome do jovem advogado Osvaldo Neto”, disse Gilson Machado.

“Fiquei sabendo da participação dele após um telefonema do Meira, que questionava a exibição do advogado pernambucano na propaganda e sugeria que o mesmo fosse substituído por mim. Prontamente entrei em contato com o Sérgio Lima, responsável pela produção da “live” que atendeu ao meu pedido acatando a sugestão do Meira”, explicou Gilson.

Após a live, Gilson disse que foi rever os comentários disse que um grupo de pessoas o atacou “covardemente”, a fim de ” fazer um assassinato” da sua reputação.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Gilson encerrou dizendo que “percalços vão haver, a vaidade pode até atrapalhar alguns, mas no final a verdade será sempre vencedora”.

Gilson também disse “que nem todo trabalho foi voluntário ou pelo patriotismo. Em vários momentos tive que arcar por despesas de trabalhos que inicialmente achei que seriam espontâneos. Não que eu esteja aqui cobrando voluntariado, mas é preciso esclarecer os fatos”, explicou.

O presidente da Embratur também afirmou que pagou os trios elétricos, os estúdios para gravação e arrumou o patrocinador para pagar o Centro de Convenções.

“Da mesma forma,quero salientar que tenho guardados todos os depósitos efetuados e comprovantes,também viabilizei os trios elétricos de todos os nossos eventos,arquei sozinho com estúdio para gravar música, arrumei patrocinador para bancar os custos com o Centro de Convenções, cedi minha banda e o som e arquei com a grande maioria das despesas para trazer o nome de Bolsonaro e do Aliança até aqui. Além do nosso comitê e outdoors,tudo sob nossa articulação . Isso não é exibicionismo, é esclarecimento! E a quem possa interessar, tenho os recibos e muitas testemunhas”, explicou.

Nota do Coronel Meira

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

Após ler a nota escrita e publicada em grupos de Whatsapp por Gilson Machado Neto, na condição de financeiro dos eventos e gestor da plataforma do Sistema de apoiamento a partidos em formação do Aliança Pelo Brasil em Pernambuco até 13 de maio de 2020, diante do conteúdo veiculado, eu, como parte integrante dessa estrutura me senti no dever moral de fazer uma exposição de fatos, todos documentados, a fim de restabelecer tão somente a VERDADE.
O Sr Gilson Machado construiu um belo texto porém, omitiu uma série de informações, deformando a verdade para dar forma a “sua” narrativa;
Em seu texto onde diz “Em vários momentos tive que arcar por despesas de trabalhos que inicialmente achei que seriam espontâneos” ele falta com a verdade, a despesa a qual ele tentou de várias formas se esquivar consta no item 5 da ata de reunião onde o mesmo participou, juntamente com um grupo com outras sete testemunhas e somente não assinou a ata alegando estar em dia útil e horário de expediente, conforme imagem em anexo.
Ainda recaiu para o Coronel Meira custear do próprio bolso uma série de compromissos ora delegados por Gilson a terceiros, que fugiram a suas responsabilidades assumidas em reunião, a exemplo dos computadores (item 6) que nunca chegaram, bem como do pagamento semanal da ajuda de custo dos 04 prestadores de serviço, tivemos que locar Notebooks para o serviço andar, conforme nota em anexo.
Ainda dentro desta exposição de fatos, preciso deixar aqui registrado que sempre trabalhamos de forma voluntária, sem jamais ter recebido um centavo de quem quer que seja, nem mesmo do Sr Gilson Machado. Outras informações que precisam ser trazidas ao conhecimento de todos os que possam interessar; A primeira reunião do Aliança Pelo Brasil realizada em Recife, no hotel jangadeiro, foi 100% custeada pelo Coronel Meira, já a 2° reunião, que ocorreu no centro de convenções, essa aconteceu e ganhou repercussão nacional devido principalmente ao apoio dos empresários simpáticos à causa do Aliança e a força tarefa montada pelos apoiadores do instituto Dom Pedro II, o qual é presidido pelo Coronel Meira, que graças a essa equipe, foi possível também rodar o estado inteiro, com recursos próprios, montando eventos de apoiamento, conclamando o povo nas rádios a aderir ao projeto do Aliança Pelo Brasil e eis o resultado do nosso trabalho; Pernambuco é o campeão de arrecadação de fichas de apoiamento no Nordeste. Mas infelizmente, um grupo sem capacidade de realização, mas sedentos por poder, resolveram, em um único dia, arrancar suas máscaras e mostrar suas verdadeiras faces.
Logo no começo da manhã da última quarta-feira 13 de maio, fomos surpreendidos com o telefonema do Sr Edson Romão, gestor nacional da fase de implantação do sistema, informando a substituição do gestor da plataforma Aliança por Pernambuco a pedido do Sr Gilson Machado, ainda sem nenhum comunicado prévio durante a manhã, recebemos a ligação do advogado voluntário que cuidava dos interesses do partido em formação, nos informando que havia recebido ligação de um assessor de Gilson, nessa ligação o interlocutor solicitava, a pedido do seu chefe, toda a documentação referente ao partido que estivesse em seu poder, logo na sequência, começou a circular em grupos de Whatsapp um banner de uma live do time Aliança e para nossa surpresa estava lá representando Pernambuco um rosto totalmente desconhecido, de um jovem que nunca deu um dia de serviço para o Aliança, que sabemos bem quem está por trás dessa cortina, indicando o destino ao qual estará fadado o Aliança Pelo Brasil em Pernambuco daqui pra frente.
Fomos pegos de surpresa, mesmo tendo sido inúmeras vezes advertidos de que humildade, reconhecimento e gratidão são virtudes desconhecidas por Gilson, mesmo assim, o Coronel Meira não merecia essa punhalada pelas costas, mas o tempo é o senhor da razão.
Por fim, seria de bom alvitre que você Gilson, apresentasse as notas que afirma possuir para dar o devido lastro as suas afirmativas, pois caso não as tenha, temos a prestação de contas de todos os eventos devidamente planilhadas e acompanhadas das respectivas notas e comprovantes de pagamentos, para trazer luz a essa questão, caso se faça necessário.
“Nekan, adonai !!! Chol-begoal!!!”

Documentos

Documento

Documento

Esclarecimento

O Portal de Prefeitura entrou em contato com Silvio Nascimento, que é um dos coordenadores ligados a Gilson Machado e disse que “houve um desentendimento, mas que não passou das lideranças de Gilson e Meira”, também falou que “houve divergências”, mas que eles continuarão caminhando juntos para o crescimento do Aliança.

Veja essas e mais notícias em:

Posts Relacionados




WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com