Prisão

Etapa da Lava Jato no Rio prende ex-deputado Paulo Melo e empresário Mário Peixoto

Peixoto e Melo, que já foram sócios, acabaram presos nesta Operação Favorito porque surgiram indícios de que o grupo do empresário estava interessado em negócios em hospitais de campanha.

Etapa da Lava Jato no Rio prende ex-deputado Paulo Melo e empresário Mário Peixoto

Ex-deputado Paulo Melo e empresário Mário Peixoto/ Foto: Divulgação

Publicado em 14 de maio de 2020 - 16:27

Por

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta quinta-feira (14), o ex-deputado estadual Paulo Melo, o empresário Mário Peixoto e outras três pessoas, em mais uma etapa da Lava Jato no Rio de Janeiro.

Surgiram indícios de que o grupo do empresário Márcio Peixoto estava interessado em negócios em hospitais de campanha no Maracanã, São Gonçalo, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Campos e Casimiro de Abreu.

“Surgiram provas de que a organização criminosa persiste nas práticas delituosas, inclusive se valendo da situação de calamidade ocasionada pela pandemia do coronavírus, que autoriza contratações emergenciais e sem licitação, para obter contratos milionários de forma ilícita com o poder público”, afirmou a PF.

Preso em desdobramento da Operação Lava Jato, empresário Mário Peixoto é levado para a Delegacia da Polícia Federal em Angra dos Reis/ Foto: Reprodução

O parlamentar, ex-presidente da Alerj, já tinha sido preso em uma etapa anterior da Lava Jato no RJ. Nesta quinta-feira (14), ele foi detido em uma casa no bairro Porto Novo, em Saquarema, na região dos Lagos.

Peixoto é dono de empresas que celebraram diversos contratos, como o de fornecimento de mão de obra terceirizada, com os governos estadual. O ex-sócio de Paulo Melo estava em Angra dos Reis, na Costa Verde. A casa dele fica em um condomínio de luxo em Mombaça.

Casa de Mário Peixoto em Mombaça, Angra dos Reis/ Foto: Reprodução

Segundo a PF, o nome da operação tem relação com o tempo de relacionamento do empresário com a administração pública, “ou seja, pelo menos 10 anos sendo o ‘favorito'”.

O advogado Flavio Mirza, que defende o ex-deputado Paulo Melo, está estudando o inquérito, para ver quais medidas tomará, já o advogado de Mario Peixoto não se apresentou à PF até o momento para acompanhar o seu cliente.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com