Réplica

“Deveria fazer algo de útil e não ficar passeando de jet ski”, rebate Dino após Bolsonaro fazer crítica

A reação do governador Flávio Dino (PC do B), aconteceu depois que o presidente comentou uma fiscalização no estado e comparou o Maranhão com a Venezuela.

“Deveria fazer algo de útil e não ficar passeando de jet ski”, rebate Dino após Bolsonaro fazer crítica

Flávio Dino e Lula. Foto: Ricardo Stuckert

Publicado em 10 de maio de 2020 - 20:21

Por

A publicação do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), nesta manhã de domingo em rede social, questionando a medida de restrição na Região Metropolitana de São Luís, que foi decretado pela Justiça a pedido do Ministério Público estadual, gerou reação do governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B) que respondeu também por meio de rede social.

“Bolsonaro inicia o domingo me agredindo e tentando sabotar medidas sanitárias determinadas pelo Judiciário e executadas pelo Governo. E finge estar preocupado com o desemprego. Deveria então fazer algo de útil e não ficar passeando de jet ski para “comemorar” 10.000 mortos”, escreveu Dino.

Lockdown na Grande Ilha

A determinação de bloqueio total na Região Metropolitana de São Luís é do juiz Douglas de Melo Martins, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís. O jurista afirmou que tomou a decisão porque ‘as pessoas estão brincando e outros estão morrendo’ pela falta de responsabilidade. A região metropolitana é formada pelas cidades que compõem a ilha: São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.

De acordo com a decisão, o que prevê o lockdown no Maranhão:

  • Suspensão das atividades não essenciais, com exceção de serviços de alimentação, farmácias, portos e indústrias que trabalham em turnos de 24 horas.
  • Bancos e lotéricas abrem apenas para o pagamento do auxílio emergencial, salários e benefícios sem lotação máxima nesses ambientes, com organização de filas.
  • Proibição da entrada e saída de veículos por dez dias, com exceção para caminhões, ambulâncias, veículos transportando pessoas para atendimento de saúde e atividades de segurança.
  • Suspensão da circulação de veículos particulares, sendo autorizados somente a saída para compra de alimentos ou medicamentos, para transporte de pessoas e atendimento de saúde, serviços de segurança ou considerados essenciais.
  • Limitação da circulação de pessoas em espaços públicos.
  • Proibição de qualquer aglomeração de pessoas em local público ou privado, para realização de eventos como shows, congressos, torneios, jogos, festas e similares
  • É obrigatório o uso de máscara em todos os locais públicos e de uso coletivo, ainda que privados.

Quem não cumprir as regras do lockdown estará sujeito a advertência ou multa. Estabelecimentos podem sofrer interdição parcial ou total do estabelecimento, no caso de empresas (leia detalhamento mais abaixo nesta reportagem).

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com