Climão

Bolsonaro e Doria brigam durante reunião

“Guarde essas suas observações para as eleições de 2022, onde Vossa Excelência poderá destilar todo o seu ódio e demagogia”, disse Bolsonaro

Bolsonaro e Doria brigam durante reunião

Foto: Reprodução/Rede Social

Publicado em 25 de março de 2020 - 13:16

Por

Foto: Reprodução/Rede Social

O presidente Jair Bolsonaro participou na manhã desta quarta-feira (25) de reunião com os governadores da Região Sudeste. Doria, governador de São Paulo, não poupou críticas ao presidente e iniciou a fala lamentando os termos usados por Bolsonaro no pronunciamento realizado na noite de ontem (24), em cadeia nacional de rádio e TV.

Doria começou dizendo que “o senhor, como presidente da República, tem de dar o exemplo, e tem de ser o mandatário para comandar, para dirigir, para liderar o País, e não para dividir”

“Somos todos aqui republicanos, presidente. Somos quatro governadores de quatro partidos distintos. Não temos as mesmas opiniões e os mesmos pensamentos ideológicos. Mas nós trabalhamos simultaneamente. Aliás, os 27 governadores do País fazem isso para defender os brasileiros”, disse o governador de São Paulo. Doria também destacou que a prioridade é “salvar vidas, presidente, nós estamos preocupados com as vidas, salvar vidas de brasileiros”.

Bolsonaro respondeu comandando uma direta para Doria: “aproveitou-se do meu nome para se eleger governador”.

Afirmou que, assim que ganhou as eleições, fez como já havia feito com “outro no passado”, numa alusão a Geraldo Alckmin, “vira as costas e começa a atacar covardemente aquele que emprestou o seu nome, não voluntariamente”. “Guarde essas suas observações para as eleições de 2022, onde Vossa Excelência poderá destilar todo o seu ódio e demagogia”, disse Bolsonaro.

“Desde o final das eleições de 2018 Vossa Excelência assumiu uma posição completamente diferente da que teve comigo”, afirmou. “Subiu à sua cabeça a possibilidade de ser presidente da República. Não tem responsabilidade. Não tem altura para criticar”, criticou.

Já demonstrando alteração, Bolsonaro disse que não aceitaria “de forma nenhuma” as palavras “levianas” de Doria. O presidente complementou a fala declarando que não aceita o tucano como “porta-voz dos outros governadores”. “Governador João Doria, faça sua parte, o governo federal está pronto para comandar como sempre fez. Vossa Excelência foi quem fechou a porta para nós”, afirmou.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com