Bolsonaro confirma envio de 5 milhões de testes rápidos para todos os Estados, ainda em março

Assim, será ampliada a testagem, mesmo em casos que não são considerados graves. Outros 10 milhões de testes rápidos estarão chegando na próxima semana.

Resultados

Publicado em 22 de março de 2020 - 14:23

Por

Ver Perfil - Portal de Prefeitura

Presidente Bolsonaro em entrevista

Presidente Bolsonaro em entrevista. Foto: Isac Nóbrega/PR

O Ministério da Saúde informou no sábado (21), que receberá cinco milhões de testes rápidos de coronavírus na próxima semana, chegando a 10 milhões nas outras semanas. Assim, será ampliada a testagem, mesmo em casos que não são considerados graves. A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que a testagem seja ampliada para que as pessoas contaminadas sejam isoladas o quanto antes e para que se evite a disseminação do vírus.

O número de óbitos em decorrência do vírus já chegou a 18, em São Paulo e no Rio de Janeiro, e soma 1128 casos de contaminação em todo o País. O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, informou que já está caracterizada a transmissão comunitária, portanto, qualquer cidadão pode ser considerado um caso suspeito e, por isso, o número de casos suspeitos não será mais divulgado diariamente.

A região Sudeste lidera os casos de contaminação, com 56,9%, tendo em São Paulo o maior número de óbitos, 15 até agora. A região Nordeste concentra o segundo maior percentual de casos, com 14,9%. Em seguida, estão as regiões Sul (13,7%), Centro-Oeste (12,2%) e Norte (2,3%). A maioria dos casos foi registrada em cidades com mais de 500 mil habitantes.

Gabarddo alertou a população sobre os riscos da automedicação, após alguns medicamentos serem apontados como eficientes no tratamento do Cornavírus. “Estamos pensando na necessidade da ampliação de produção, usando de forma experimental em alguns locais. O Ministério da Saúde pretende elaborar nota sobre utilização desses medicamentos”, disse o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, ao tratar especificamente do uso da cloroquina  e hidroxicloroquina. Remédios com base nessas substâncias estão sendo utilizados atualmente em pesquisas clínicas.

Em outra frente, o Ministério da Saúde está em contato com outros países para conseguir equipamentos de proteção individual, de laboratório e para o funcionamento das Unidades de Terapia Intensiva. Há um grande esforço para aquisição da maior quantidade possível de leitos de UTI.

Via Governo do Brasil

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com