Suspensão

Por decisão do PSL, Câmara suspende 12 deputados do partido

A decisão, publicada no Diário Oficial da Câmara nesta quarta-feira (04), deve abrir caminho para destituir Eduardo Bolsonaro da liderança da sigla.

Por decisão do PSL, Câmara suspende 12 deputados do partido

Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Publicado em 4 de março de 2020 - 16:30

Por

Deputada Aline Sleutjes. Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

São Paulo — A Câmara dos Deputados ratificou um pedido do presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, e suspendeu 12 deputados do partido por um ano.

A decisão, publicada no Diário Oficial da Câmara nesta quarta-feira (04), deve abrir caminho para destituir Eduardo Bolsonaro da liderança da sigla, em mais um capítulo da disputa entre bivaristas e bolsonaristas pelo comando da bancada da legenda na casa.

Estão suspensos os deputados Aline Sleutjes, Alcíbio Mesquita Bibo Nunes, Carlos Roberto Coelho de Mattos Junior, Caroline Rodrigues de Toni, Daniel Lúcio da Silveira, Elieser Girão Monteiro Filho, Filipe Barros Baptista de Toledo Ribeiro, Geraldo Junio do Amaral, Hélio Fernando Barbosa Lopes, Márcio da Silveira Labre, Ubiratan Antunes Sanderson e Vitor Hugo (líder do governo na Câmara).

Com a decisão, os parlamentares não podem votar e nem ser votado nas reuniões internas ou ocupar cargos partidários pela sigla. Perdem, ainda, as prerrogativas junto à bancada e ao partido, além de ficarem sem o cargo e a função que estão exercendo.

Na prática, no entanto, um deputado suspenso pode buscar outro partido sem perder o mandato. Eles devem deixar qualquer função de liderança e vice-liderança, bem como ficam impedidos de orientar a bancada em nome do partido, representar agremiação e de participar da escolha do líder da bancada durante o período de desligamento.

Já os as sanções aplicadas anteriormente aos deputados Beatriz Kicis, Carla Zambelli,  Alessandra da Silva, Christine Nogueira e Eduardo Bolsonaro foram suspensas. Com a ratificação, a bancada reduz de 53 deputados para 41.

Como os deputados não poderão escolher o novo líder, a ala bivarista acredita que a redução será suficiente para eleger um aliado. A mais cotada é a deputada Joice Hasselmann.

Da redação do Portal de Prefeitura com informações do site da Revista Veja.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com