Estudo

Ranking revela situação da saúde, educação, e saneamento nas 100 maiores cidades brasileiras

O Estado de Pernambuco não possui nenhuma entre as melhores e tem três cidades entre as vinte e cinco piores

Ranking revela situação da saúde, educação, e saneamento nas 100 maiores cidades brasileiras

Foto: Montagem Portal de Prefeitura

Publicado em 18 de fevereiro de 2020 - 14:13

Por

Foto: Montagem Portal de Prefeitura

A quarta edição do estudo Desafios da Gestão Municipal (DGM), que está sendo lançada pela Macroplan neste ano eleitoral, mostra quais cidades entregaram mais serviços em quatro áreas essenciais – saúde, educação, segurança e saneamento & sustentabilidade. O ranking avalia os 100 maiores municípios do país em termos de população (mais de 273 mil habitantes), que respondem por cerca de metade do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Na experiência internacional, as cidades que lideram as listas dos melhores lugares para se viver, em geral, são as que conseguem conciliar geração de oportunidades com qualidade de vida, e a gestão municipal tem papel crucial nesta função.

Os municípios, por exemplo, são responsáveis pelos anos iniciais do ciclo escolar que são determinantes para a igualdade de oportunidades. Nas famílias com renda domiciliar per capita de até um salário mínimo, 90,7% das crianças de 6 a 14 anos frequentam escola pública (Pnad, 2018). A maior parte delas na rede municipal que abriga 68,5% das matrículas do ensino fundamental da rede pública (Censo Escolar , 2018). Quanto pior a qualidade do serviço público, maior tende a ser o abismo entre os que dele dependem e os que podem recorrer a iniciativa privada.

O desempenho global da gestão de cada cidade é avaliado por um índice sintético, composto por uma cesta de 15 indicadores de todas as áreas analisadas, o IDGM – Índice Desafios da Gestão Municipal. O IDGM varia de 0 a 1. Quanto mais próximo de 1, melhor o desempenho do município.

O estudo da Macroplan não avalia a gestão de prefeituras específicas, mas o legado de várias administrações das cidades, aferindo a evolução dos indicadores na última década, assim como no último ano.

Na última década, a evolução do IDGM revela que houve avanços positivos em praticamente todos os 100 municípios, menos em Ananindeua (PA).  Exceção é a área de segurança que registrou retração em 34 municípios.

Já na análise do último ano, é possível verificar uma maior retração no IDGM nas cidades do estudo. Quase metade delas teve piora no desempenho: cinco municípios no Norte, seis no Nordeste, vinte e seis no Sudeste, dez no Sul e dois no Centro-Oeste tiveram desempenhos negativos no índice agregado, sendo mais frequentes na saúde (83 municípios) e segurança (46 municípios).

No estudo da Macroplan, é possível verificar as grandes diferenças regionais na capacidade de entregar resultados em serviços essenciais à população. Entre as dez primeiras colocadas no ranking geral do DGM 2020, destacam-se oito cidades do interior de São Paulo e duas do Paraná.

Piracicaba (SP) é a primeira colocada no ranking geral da pesquisa, com um IDGM de 0,757. Há também cidades que alcançam posição idêntica, como é o caso de São José do Rio Preto (SP) e Maringá (PR), ambas com IDGM 0,739, ocupando a segunda posição do ranking geral. São José dos Campos (SP) ocupa, assim, a 4ª colocação, com IDGM de 0,738, e Jundiaí (SP) a 5ª, na aferição das melhores entregas de serviços à população, com IDGM de 0,730. O Estado do Rio tem cinco cidades entre as dez piores do ranking e Ananindeua (PA) está na lanterna entre as cidades analisadas, com IDGM 0,404.

Rankings por área

Além do ranking geral, a pesquisa da Macroplan aponta as cidades com a melhor oferta de serviços essenciais por área.

Educação 

As cidades com a melhor aferição no IDGM Educação (que reúne indicadores de matrículas em creche; matrículas em pré-escola, IDEB Ensino Fundamental I e IDEB Ensino Fundamental II, ambos da rede pública) são do interior de São Paulo.

Saúde

O IDGM Saúde reúne os indicadores de mortalidade infantil, acesso à assistência pré-natal, atenção básica à saúde e mortalidade prematura por doenças crônicas. Os municípios mais bem posicionados são das regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

Segurança

O IDGM Segurança avalia a taxa de homicídios e mortalidade por acidente de trânsito. As cidades do Estado de São Paulo obtiveram os melhores resultados.

Saneamento

O IDGM Saneamento e Sustentabilidade reúne os indicadores de acesso à esgoto, água e lixo. Cidades de São Paulo e Paraná ocupam as melhores posições.

Para uma das coordenadoras do estudo, a economista sênior da Macroplan, Adriana Fontes, as cidades precisam inovar para lidar com a falta de recursos e a pressão da sociedade por mais e melhores resultados. “Enquanto alguns municípios focam na agenda de curto prazo, outros conseguem superar as adversidades do atual cenário com planejamento, foco e cooperação. Gerir com base em evidências, buscar as boas práticas de outras cidades e dar continuidade a políticas públicas exitosas são fundamentais para evitar desperdícios de recursos”, afirma.

Fonte: MacroPlan

Veja essas e mais notícias em:

Posts Relacionados




WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com