Recife

Câmara Municipal do Recife inicia trabalhos legislativos em 2020

Luciano Siqueira pediu para protocolar a mensagem do Prefeito e discursou,  de improviso, sobre a situação do município.

Câmara Municipal do Recife inicia trabalhos legislativos em 2020

Foto: Divulgação/Câmara Municipal do Recife

Publicado em 4 de fevereiro de 2020 - 08:52

Por

Foto: Divulgação/Câmara Municipal do Recife

A reunião solene de instalação da 4ª sessão legislativa da 17ª legislatura foi aberta na tarde da segunda-feira (3), na Câmara do Recife, pelo presidente da Casa, vereador Eduardo Marques (PSB). Seguindo o protocolo, ele convidou o vice-prefeito, Luciano Siqueira, na qualidade de representante do Prefeito Geraldo Julio, e protocolou a mensagem por ele enviada contendo a situação do município. Também discursaram o líder da Oposição, vereador Renato Antunes (PSC), e o líder da situação, vereador Eriberto Rafael (PTC).

Luciano Siqueira pediu para protocolar a mensagem do Prefeito e discursou,  de improviso, sobre a situação do município. O vice-prefeito iniciou a fala afirmando o apreço que devota a cada um dos parlamentares, pela importância do papel que desempenham no cenário institucional. “Tomo a liberdade para fazer algumas considerações sobre o conteúdo da mensagem enviado pelo Prefeito Geraldo Julio e outras questões que nos digam respeito. Esta peça entregue hoje deverá ser examinada por cada um dos parlamentares, sejam da situação, sejam da oposição, com espírito crítico, no sentido de aprimorar as ações e projetos propostos”.

Luciano Siqueira ponderou que quanto mais rigorosa a análise dos vereadores, melhor será para a cidade e para a democracia. Afirmou que representamos uma das mais importantes capitais brasileiras, a sexta, com mais de 1,5 milhão de habitantes, em pouco mais de 218 quilômetros quadrados de área. Segundo ele, uma cidade com grande número de demandas sociais e de outras naturezas. Desde a gestão de Jarbas Vasconcelos que se vem tentando corrigir diferenças, e o Recife, na visão dele, talvez seja uma das capitais que apresente mais diferenças sociais.

O vice-prefeito destacou que o Recife junto com o Rio de Janeiro foram os primeiros municípios, nas décadas de 40 e 50, a darem início às primeiras experiências de planejamento urbano para resolver questões de circulação de pessoas e de veículos e das condições sanitárias. Mas ele lembrou que foram ocupadas de forma desorganizada seja pela industrialização crescente ou pressionadas saída do campo, que nunca passou por uma reforma agrária. “Nesses sete anos de gestão tem-se buscado um melhor planejamento, e por isso destaco que no momento em vamos entregar a esta Casa o novo Plano Diretor, podemos considerar como retomada do planejamento urbano tão necessário”.

Luciano Siqueira salientou que os ex-gestores lutaram para voltar ao planejamento urbano. Por isso, ele considera que a Casa legislativa deverá se debruçar  sobre o Plano Diretor e sobre o projeto do Rio Capibaribe, iniciando um novo conceito de convivência urbana. Ele destacou ainda que nesses sete anos de gestão de Geraldo Julio foram impactados pelas crises econômicas, mas apesar disso, conseguiu manter as contas em dia e fazer entregas à população. “Na saúde, por exemplo, a cada 17 dias de gestão foi entregue uma ação e isso só foi conseguido em virtude do rigor fiscal adotado”. Ele ressaltou que espera que o debate político nessas eleições seja feito com base nessa trajetória e seja consistente.

Da redação do Portal com informações da Câmara Municipal do Recife

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com