Volta às aulas

Rede municipal do Recife inicia aulas nesta terça (04) com homenagem a Clarice Lispector

Diálogo sobre Sustentabilidade e Emergências Climáticas também será destaque no ensino do Recife.

Rede municipal do Recife inicia aulas nesta terça (04) com homenagem a Clarice Lispector

Foto: Daniel Tavares/PCR

Publicado em 31 de janeiro de 2020 - 16:18

Por

Foto: Daniel Tavares/PCR

Os mais de 90 mil alunos matriculados na rede de ensino do Recife iniciam as aulas nesta terça-feira (04). O ano letivo 2020 terá como tema “100 Anos de Clarice Lispector: ‘Ainda bem que sempre existe outro dia. E outros sonhos. E outros risos.’ “, e como subtema “Recife atento às emergências climáticas. Pensando o futuro com responsabilidade”.

O primeiro homenageia o ano de nascimento da escritora e o segundo faz alusão ao pioneirismo em todo o Brasil da nova matéria que começa a fazer parte da grade curricular “Sustentabilidade e Emergências Climáticas”. A Secretaria de Educação do Recife preparou uma programação especial na Escola Municipal Rozemar de Macedo Lima, em Casa Amarela, para marcar o início das aulas.

Os mais de 400 alunos da unidade de ensino receberão a visita da personagem “professora Clarice”, que contará a história do livro “O mistério do coelho pensante”. Essa foi primeira obra infantil feita pela escritora após o filho ter questionado o porquê de ela fazer livros apenas para adultos. Além de contar a história para as crianças, a “professora Clarice” realizará atividades lúdicas com os pequenos, por meio de brincadeiras, do teatro, da música, e estabelecerá diálogos sobre a sustentabilidade e as emergências climáticas.

Essa ação será desenvolvida em toda a rede de ensino do Recife durante o ano de 2020 e o projeto leva o nome de “Clarice vai à escola”, que tem como foco o processo de alfabetização e letramento para Educação Infantil e Anos Iniciais. Para os estudantes de Anos Finais, o foco do projeto é a interpretação de texto e a apropriação da obra da escritora. Além de “O mistério do coelho pensante”, os alunos do ciclo de alfabetização trabalharão também com mais três livros da autora: “A mulher que matou os peixes”, “Doze Lendas Brasileiras: como nasceram as estrelas” e “Quase de verdade”. A escritora nasceu na Ucrânia, se naturalizou brasileira e se declarava pernambucana, já que viveu no Recife até os 14 anos de idade.

“Clarice Lispector é considerada uma das maiores escritoras brasileiras do século 20. Atualmente, 45 obras dela estão sendo comercializadas e nós estamos adquirindo dois kits para cada escola da rede. A comunidade escolar terá esse material à disposição, entre romances, contos e ensaios, para ser trabalhado durante todo o ano. A rede fará um evento para apresentar a produção literária dos nossos estudantes, no final do ano”, adiantou Bernardo D´Almeida, secretário de Educação do Recife.

No total, mais de 18 mil livros foram adquiridos para serem distribuídos nas unidades escolares, nas bibliotecas do Compaz e para os professores. A rede de ensino da Prefeitura do Recife conta com 312 escolas, sendo 82 creches, além da Escola de Arte João Pernambuco, um barco escola e uma classe hospitalar.

Sustentabilidade- Recife é a primeira cidade brasileira a ter a disciplina “Sustentabilidade e Emergências Climáticas” como obrigatória no currículo, com aval do Conselho Municipal de Educação, que aprovou em dezembro o novo componente curricular por unanimidade. Entre os conteúdos a serem aprendidos estarão “Aquecimento global e suas consequências no cotidiano”; “Formas de vida, sustentabilidade e os cuidados com a natureza”; “Consumo sustentável”; e “Água: entre os interesses econômicos e os da realização plena da vida humana”.

O anúncio dessa decisão foi feito pelo Prefeito do Recife, Geraldo Julio, durante a 1ª Conferência Brasileira de Mudança do Clima, realizada no Recife, de 6 a 8 de novembro. Ainda n evento, o Recife foi a primeira cidade brasileira a decretar o reconhecimento da emergência global do clima em novembro de 2019 e, tem, inclusive, uma Lei Municipal que dispõe sobre a política de sustentabilidade e enfrentamento a emergências climáticas( Lei 18.011/2014).

Segundo o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, da ONU (IPCC) , Recife é a 16ª cidade mais vulnerável do mundo às mudanças climáticas. Estudos apontam que em 2100, devido ao aumento do nível dos oceanos, a capital pernambucana pode ter 33,7 km² de seu território suscetíveis a inundações.

Para o secretário de Educação do Recife, Bernardo D’Almeida, a ideia é conscientizar as novas gerações e encontrar ressonância nessa causa absolutamente vital para o planeta. “A ideia é mostrar as causas do aquecimento global, desenvolver e promover ações socioambientais que possam combatê-lo, construir uma cultura de pertencimento e convivência sustentável entre os nossos estudantes, professores e comunidades do entorno das nossas escolas”.

A partir de março, os professores da Rede receberão um reforço na formação relacionada ao tema da sustentabilidade e emergências climáticas e atuarão de forma interdisciplinar. A qualificação será feita pelo professor da UFPE e doutor em Geografia e Ordenamento Territorial pela Universidade de Paris, Cláudio Jorge de Moura Castilho, na Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Educadores do Recife Professor Paulo Freire.

Da redação do Portal de Prefeitura com informações da Secom/Recife. 

Veja essas e mais notícias em:

Posts Relacionados




WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com