Crítica

“Censura significa retrocesso”, protesta OAB

O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz criticou duramente a decisão do desembargador carioca

“Censura significa retrocesso”, protesta OAB

Foto: Reprodução/CryptoID

Publicado em 9 de janeiro de 2020 - 17:21

Por

Foto: Divulgação

O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz criticou duramente a decisão do desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), Benedicto Abicair. Segundo Santa Cruz, a Constituição brasileira protege o direito à liberdade de expressão e qualquer forma de censura significa retrocesso.

“A Constituição brasileira garante, entre os direitos e garantias fundamentais, que ‘é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença’. Qualquer forma de censura ou ameaça a essa liberdade duramente conquistada significa retrocesso e não pode ser aceita pela sociedade”, afirmou em nota.

Benedicto mandou tirar do ar imediatamente o especial de Natal produzido pelo “Porta dos Fundos” da plataforma Netflix. O desembargador acatou o pedido da Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura. Segundo a associação, o filme agride a proteção à liberdade religiosa ao retratar Jesus Cristo como um “homossexual pueril, namorado de Lúcifer, Maria como uma adúltera desbocada e José como um idiota traído por Deus”.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com