Após saída de Bolsonaro, pedidos de desfiliação quadruplica no PSL

O levantamento foi feito pelo Jornal OGLOBO, comparando os três meses anteriores, de acordo com os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Desfiliação

Publicado em 9 de janeiro de 2020 - 10:58

Por

Ver Perfil - Portal de Prefeitura

Foto: Montagem/ Portal de Prefeitura

O PSL, ex-partido do presidente Jair Bolsonaro, vem passando por um enorme movimento de pedidos de desfiliação. O número quadruplicou desde Bolsonaro afirmou, em outubro do ano passado, que o deputado Luciano Bivar (PE), presidente do partido, estava “queimado para caramba”.

Desde o anúncio da saída de Bolsonaro em outubro, 1.256 pessoas pediram o cancelamento da filiação, quase quatro vezes mais do que os 90 dias anteriores, quando houve 363 pedidos. No entanto, o número é pequeno quando comparado aos 348 mil filiados do partido atualmente.

Dois meses depois do início do conflito interno no PSL, quando o presidente Jair Bolsonaro já havia deixado a legenda, o Aliança pelo Brasil iniciou uma campanha que encorajava a desfiliação de outro partidos. O motivo é que apenas pessoas que não têm vinculação partidária podem assinar a criação de uma legenda.

O senador Major Olímpio (PSL-SP), líder do partido na Casa e ligado ao presidente da sigla, Luciano Bivar, disse ficou surpreso com os números. Ele afirmou que esperava uma quantidade superior de desfiliações.

“Me surpreende porque eu imaginei até que fosse um número superior. É um número absolutamente insignificante. Até porque como você tem parlamentares que são do PSL, mas estão fazendo a mobilização pelo Aliança, a direção do Aliança fazendo uma campanha nacional pelas redes, orientando como é que se desfilia”, afirmou.

O cancelamento da desfiliação ocorre quando o cartório retira o nome do eleitor da lista oficial de integrantes do partido. O ato pode ocorrer de duas maneiras. Na primeira, o interessado procura o partido, solicita a desfiliação e encaminha a comunicação ao juiz eleitoral. No caso de inexistência de órgão partidário municipal, o filiado pode comunicar apenas ao juiz eleitoral.

Apesar do crescimento de desfiliações, a quantidade é pequena também se comparada ao número necessário de assinaturas para a criação de um partido. São necessárias 492 mil apoios. Até agora, 118 mil pessoas imprimiram as fichas de apoio ao partido, mas ainda não é possível saber quantos de fato foram registrados em cartório.

A maior parte dos desfiliados são do estado de São Paulo (259), Santa Catarina (160) e Rio Grande do Sul (146). Em Brasília, que teve 47 pedidos de desfiliação.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com