Em Pernambuco, BRT é substituído por ônibus com ar-condicionado para diminuir custos

Consórcio Conorte foi autorizado pelo governo de Pernambuco a fazer a substituição em algumas linhas que tiveram queda de demanda.

Substituição

Publicado em 7 de janeiro de 2020 - 15:50

Por

Ver Perfil - Portal de Prefeitura

Foto: Divulgação

O BRT (Bus Rapid Transit), também conhecido como Via Livre na Região Metropolitana do Recife, sofrerá mais uma mudança. Isso porque no lugar dos BRT’s, algumas linhas do Corredor Norte-Sul, que ligam o Recife ao município de Igarassu, vão operar com ônibus comuns.

É importante destacar que são coletivos novos, com ar-condicionado, suspensão a ar, com catracas e com cinco portas (três do lado direito e duas do lado esquerdo), o que permitirá ser utilizado não só nas estações elevadas, mas também na operação comum.

O setor empresarial e o governo de Pernambuco, gestor do sistema de transporte, autorizou a mudança e está upervisionando para que os veículos sejam utilizados.

O valor do subsídio injetado pelo governo nos lotes operados pelo Conorte e a MobiPE foi de aproximadamente R$ 250 milhões por ano. Este, inclusive, é o grande motivador das alterações.

“Em primeiro lugar é importante deixar claro que não estamos falando apenas de veículos novos. Os ônibus adquiridos são menores que os BRTs, de fato, mas são veículos modernos, com ar-condicionado, suspensão a ar e potencia de quase 300 cavalos. São bem diferentes dos ônibus utilizados na operação comum. Além disso, entrarão em operação em linhas com demanda ociosa para um BRT convencional e, principalmente, em linhas que operam com veículos convencionais sem ar”, garante o diretor de Operações do Conorte, Almir Buonora.

Buonora também revelou que nenhum dos 88 BRTs do Conorte será retirado da operação e serão remanejados para linhas do próprio sistema BRT que têm demanda que justifica e atualmente operam com veículos convencionais.

Ainda de acordo com as informações, o governo de Pernambuco também garante que a mudança não prejudicará os passageiros e que será boa para a saúde financeira do sistema.

Os “novos BRTs” custam um terço do valor dos BRTs tradicionais. Segundo o Conorte, enquanto os novos veículos adquiridos custam R$ 440 mil, nos cálculos do GRCT, o preço de um BRT tradicional é de R$ 900 mil.

As três linhas que inicialmente irão receber os novos veículos são a 1900 – PE-15 (PCR), 1915 – PE-15/Dantas Barreto, e a 1970 – TI Pelópidas-PE15. Os BRTs que hoje operam nessas linhas deverão ser remanejados, segundo o Conorte, para as linhas 1909 – TI Pelópidas/TI Joana Bezerra e 1977 – TI Pelópidas/Conde da Boa Vista.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com