Deputados repudiam especial do Porta dos Fundos: “A mão de Deus vai pesar sobre eles”

O Portal de Prefeitura conversou com três parlamentares sobre o assunto

Opiniões

Publicado em 7 de dezembro de 2019

Por

Ver Perfil - Portal de Prefeitura

Foto: Alepe/Alepe/Câmara dos Deputados

Estreou nesta semana, no serviço de streaming Netflix, o especial de fim de ano, do grupo de humor “Porta dos Fundos”, intitulado “A Primeira Tentação de Cristo”. Durante o filme, Jesus  (Gregório Duvivier) é colocado como estudante universitário de esquerda, militante gay e fã de boy bands, Maria (Evelying Castro) como maconheira e José (Rafael Portugal) sendo corno. Em meio a polêmica gerada sobre o filme, o Portal de prefeitura conversou com os deputados estaduais Clarissa Tércio (PSC) e Pastor Cleiton Collins (PP), além do parlamentar federal Pastor Eurico (Patriotas).

Líder da Igreja Assembleia de Deus, Ministério Madureira e deputado estadual, Cleiton Collins não poupou críticas ao serviço de streaming. “Vou cancelar a partir de hoje, em minha casa nunca mais!” e convidou os fiéis para fazerem o mesmo “Desligue a Netflix da sua vida, até que eles se retratem”. O parlamentar disse ainda que vai “Entrar com uma ação no Ministério Público, já falei o procurador Francisco Dirceu”.

Integrante da bancada evangélica na Alepe, Clarissa Tércio, deixou claro o repúdio ao grupo. A deputada já havia entrado, em maio deste ano, com um processo contra o Porta dos Fundos, após ser veiculado um vídeo com a cena de um beijo gay entre Jesus e Judas. 

“Deixo meu repúdio como parlamentar, representante do povo, do segmento evangélico, como cristã e em nome do Ministério Novas de Paz. Nossa tristeza é profunda, por ver que leis no Brasil não são cumpridas. Isso é vilipêndio, é escárnio, é um desrespeito total à figura mais amada pelo povo, já que o Brasil é cristão. Respeitem a nossa fé! A mão de Deus vai pesar sobre eles”, finalizou a deputada.

Cleiton afirmou que os atores, para buscarem audiência “Estão ferindo, difamando, tentando denegrir e fazendo chacota com a fé das pessoas”. “Quem não gosta de Jesus, pode dizer que não gosta, a gente respeita. Mas fazer o que o Porta dos Fundos vêm fazendo não dá. A Netflix que é bancada pela maioria dos cristão do Brasil, tem que parar com isso”, finalizou.

Pastor Eurico declarou que o filme é na verdade uma ofensas à fé cristã, e culturalmente, sem méritos, “não vamos baixar a guarda frente a esses instrumentos do diabo, elementos satânicos que buscam  cada vez mais denegrir a imagem dos evangélicos, das igrejas, dos símbolos religiosos, e é claro, da nossa fé, atingindo ao Deus Pai criador, ao filho Jesus Cristo, a história dessa base de nossa religião”.

O deputado federal revelou ainda que pretende levar o caso à instâncias competentes, “vamos seguir buscando nas instâncias de competência agir em cima desses elementos que realmente só fazem atingir ou atacar aos religiosos em nosso país”, disse. 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com