Presidente do PT acusa Patrícia Domingos de “ataques irresponsáveis” contra Marília Arraes

Em nota, Glaucus Lima critica declarações da delegada ao programa Na Rota da Política, do Portal de Prefeitura.

Publicado por: em 2 de dezembro de 2019 - 19:02

Ver Perfil

Indignado

Foto: Arthur Marrocos

O presidente estadual do PT, Glaucus Lima, disse em nota enviado ao Portal de Prefeitura que está “indignado” com as recentes declarações da delegada Patrícia Domingos, da extinta Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), em entrevista a este site.

Para ele são “ataques irresponsáveis e teleguiados contra pessoas públicas que incomodam pelo seu trabalho e dimensão política”.

Patrícia Domingos disse ao participar do Programa Na Rota da Política, do Portal de Prefeitura, que  “não votaria em Marília” pois “ela foi indiciada pela Decasp por ‘rachadinha’”.

Confira a nota na íntegra: 

“NOTA – GLAUCUS LIMA (PRESIDENTE DO PT-PE)

 

Há pouco menos de um ano do processo eleitoral de 2020 vemos crescer, de forma assustadora, os ataques irresponsáveis e teleguiados contra pessoas públicas que incomodam pelo seu trabalho e dimensão política. Não há como não ficar impressionado (e indignado) com as recentes declarações da delegada da extinta Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), Patrícia Domingos, em entrevista ao site Portal de Prefeitura. Servidora pública, com salários pagos pelo erário, a distinta delegada deveria estar exercendo suas funções ao invés de se deixar usar politicamente.

 

Ao declarar que “não votaria em Marília”, sob a alegação de que “ela foi indiciada pela Decasp por ‘rachadinha’”, a delegada falta com a transparência e isonomia que compete ao cargo e função pública a que ocupa.

 

No ano de 2018, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) determinou a extinção de um inquérito, instaurado a partir de uma denúncia anônima, sobre a suposta existência de servidores fantasmas em seu gabinete. Ainda segundo a mesma denúncia anônima alguns servidores lotados no gabinete da então vereadora fariam a devolução de parte dos salários recebidos pela Câmara Municipal, a chamada “rachadinha”.

 

Vale ressaltar que a investigação sobre o caso foi aberta a pedido da própria Marília Arraes, que assim que foi informada pelo MPPE sobre o assunto fez questão de solicitar uma investigação ampla. Durante todo inquérito, Marília e alguns servidores de seu gabinete foram ouvidos e prestaram todos os esclarecimentos solicitados.

 

O MPPE optou pelo arquivamento do inquérito diante da ausência de qualquer prova que comprovasse a denúncia. Como delegada, como servidora pública, a senhora Patrícia Domingos deveria se referir a história como ela de fato é. Esconder a conclusão de um processo que isentou Marília é omitir a verdade.

 

É importante ainda destacar que o caso veio à tona durante o processo eleitoral de 2018, quando Marília disputava a eleição para a Câmara dos Deputados. Na ocasião, em uma entrevista coletiva convocada pela própria delegada Patrícia Domingos, a policial fez referências ao inquérito em questão de forma descontextualizada, com clara intenção de provocar prejuízo à imagem de Marília. Não teve sucesso. O episódio foi todo esclarecido junto a imprensa local, que percebeu a intenção “por trás” das declarações.

 

A delegada Patrícia tem todo o direito, como cidadã, de se filiar a uma legenda e de disputar qualquer cargo eletivo. O que não pode é usar de seu cargo público para atacar, com inverdades, outras pessoas. É lamentável que ainda haja este tipo de atitude em nosso Estado.

 

Nas últimas eleições o Brasil pagou um preço alto pela propagação de “Fake News”, que acabou se mostrando um dos mais graves problemas da atualidade, com riscos graves à democracia. O Partido dos Trabalhadores tem trabalhado duramente, em todo o País, para combater esse tipo de prática! Em Pernambuco não poderia ser diferente, motivo pelo qual, como presidente estadual da legenda jamais poderia deixar passar um ataque como esse a uma de nossas mais atuantes parlamentares.

 

Aqui, fazemos um apelo e um alerta: Que a responsabilidade seja a mola motriz das eleições de 2020. Estaremos atentos e não nos intimidaremos diante dos ataques de quem insiste em usar a liberdade de expressão de forma antidemocrática!”

 

 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com