STJ decide negar habeas corpus à Eduardo Cunha que continua preso em Bangu 8

Ex-deputado foi condenado a 15 anos e quatro meses de prisão por recebimento de propina.

Publicado por: em 30 de novembro de 2019 - 17:35

Ver Perfil

Negado

Reprodução da Internet

O pedido dos advogados do ex-deputado pelo MDB-RJ, Eduardo Cunha, foi negado ontem pela Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os advogados  alegaram no pedido de soltura do ex-deputado, que está preso preventivamente desde 2016, excesso de prazo da medida cautelar. Ao negar o pedido, o relator do recurso, o ministro Rogerio Schietti Cruz afirmou que Cunha ocupava “posição de liderança na organização criminosa”.

Desde maio passado, o ex-deputado está no Presídio Pedrolino Werling de Oliveira, o Bangu 8, no Complexo de Cericinó, na Zona Oeste do Rio. Cunha cumpre parte da pena de 15 anos e quatro meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, no âmbito da Operação Sepsis, que apurou o recebimento de propina para a liberação de recursos da Caixa.

De acordo com as investigações, Cunha era um dos líderes de organização criminosa que se estabeleceu na Caixa e recebia propina para a liberação de financiamentos com recursos do FGTS. Um desses episódios teria ocorrido com as obras do Porto Maravilha, no Rio.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com