Imprecisão

Ativista que acusou Bolsonaro de “crimes contra a humanidade” defende o aborto

Ela é contra a criminalização do aborto e já participou de audiência pública no Senado Federal em 2016 para defender a interrupção da gravidez.

Bolsonaro, Ativista que acusou Bolsonaro de “crimes contra a humanidade” defende o aborto
Foto: Montagem/ Portal de Prefeitura

O Coletivo de Advogados em Direitos Humanos assinou uma denúncia nesta quarta-feira (27) que afirma que o presidente Jair Bolsonaro cometeu “crimes contra a humanidade” ao “fazer ataques sistemáticos aos povos indígenas”.

A advogada e ativista Eloísa Machado de Almeida é contra a criminalização do aborto e já participou de audiência pública no Senado Federal em 2016 para defender a interrupção da gravidez.

“A proteção jurídica se dá com a noção de personalidade que começa com o nascimento. Há algo em ser humano que precisa ser preservado, o nome disso é autonomia. O direito à vida é inviolável e deve ser garantido pelo Estado. Vida após o nascimento (e não intra-uterina): é essa a vida que a Constituição Brasileira protege. O direito inviolável à vida é para a constituição o que o sagrado é para religião”, afirmou, na ocasião.

Eloísa também se mostrou crítica aos atos do ministro Sergio Moro em 2018, quando ainda era juiz federal responsável pelo processo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Não existe nenhuma justificativa jurídica para um juiz de primeira instância (Moro) mandar um “ofício” para a polícia determinando aos policiais federais o descumprimento de decisão judicial proferida por desembargador. É inimaginável, num estado democrático de direito, que a Polícia Federal e o Ministério da Justiça sejam instados por um juiz ao descumprimento de decisão de um tribunal”, afirmou ao portal Nexo, em julho de 2018.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal