Reportagem da Carta Capital sugere que Damares Alves deveria “ter relações sexuais com Jesus”

Em texto publicado ontem (20) a revista publicou texto com o título “Mulheres que envergonham as mulheres”

Publicado por: em 21 de novembro de 2019 - 21:51

Ver Perfil

Preconceito

Foto: Divulgação

Ontem os olhos de grande parte do país estavam no Congresso para saber se a PEC 199 seria aprovada pelos deputados. Talvez por isso poucas pessoas tomaram conhecimento de uma polêmica matéria veiculada pela revista Carta Capital esta semana.

O texto foi escrito por Nirlando Beltrão e teve como título “Mulheres que envergonha as mulheres”. O teor da reportagem trouxe ácidas críticas a personalidades femininas.

O autor citou a deputa Janaina Paschoal, a jornalista Leda Nagle, a atriz Regina Duarte, entre outras. No entanto, parece que Nirlando Beltrão reservou um espaço especial para falar da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

A história da ministra

Após ser sexualmente violentada aos dez anos de idade por um homem adulto e amigo de sua família, a ministra subiu num pé de goiabeira. Antes de se jogar do alto da árvore, Damares afirmou que Jesus apareceu a ela numa visão, o que a impediu de tirar a própria vida.

O editor de Carta Capital usou a ironia e o escárnio ao falar da experiência de Damares Alves. Beltrão sugeriu que a ministra deveria ter relações sexuais com Jesus para “sossegar a sofreguidão dos seus países baixos”.

Repúdio Social

Pelo menos dois grandes segmentos da sociedade civil se manifestaram em repúdio ao que Carta Capital publicou ontem. Uma delas foi a ANAMATRA, Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho. A nota também chama de “misógino” o conteúdo da reportagem e declarou ainda que ele “reforça estereótipos de uma cultura machista, a qual não aceita as mulheres em espaços de poder”.

Outra entidade que repudiou o ocorrido em nota foi a Associação dos Juizes Federais do Brasil, AJUFE. Em nota, o órgão acrescentou que “a publicação apoia-se essencialmente em estereótipos de cunho sexista, que historicamente sedimentam discriminações e violações de direitos das mulheres. Referências à aparência física, estado civil e sexualidade foram e ainda são utilizados para inferiorizar e intimidar mulheres nos espaços públicos”.

Em suas redes sociais a ministra Damares Alves se referiu ao texto da Carta Capital. Ela postou no Twitter: “A revista Carta Capital de hoje trouxe uma matéria nojenta, escrita por um homem, o editor-chefe, a qual dispara ataques nojentos a mulheres com destaque na política nacional. E vejam só o absurdo que falam dessa Ministra. Segundo ele, com 10 anos de idade, quando estava no pé de goiaba pensando em tirar a própria vida por ter sido abusada sexualmente, eu deveria ter aproveitado o momento para ter relações com Jesus”.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com