Porteiro de condomínio pode ter acusado Bolsonaro por medo de represálias

Funcionário mora em região dominada por milicianos.

Publicado por: em 8 de novembro de 2019 - 12:05

Ver Perfil

Depoimento

Foto: Reprodução

Suspeito de mentir em depoimento para proteger milicianos, o porteiro Alberto Jorge Ferreira Mateus, funcionário do Vivendas da Barra é o atual pivô de polêmica no caso Marielle. Funcionário mora em região dominada por milicianos, acredita-se que ele possa ter mentido por medo de represálias. O ex-policial Ronnie Lessa, preso acusado de cometer o crime, é apontado como integrante de um grupo de milicianos de Gardênia Azul, no Rio de Janeiro.

Após a confusão criada pelo depoimento, o funcionário foi procurado por outros portais e revistas e se negou a falar. Ele se ateve a dizer, ao Metrópoles, que “não está podendo falar nada”. A suspeita levantada é de que o porteiro tenha mentido para acobertar os criminosos. Ronnie Lessa e Élcio Queiroz haviam negado envolvimento no crime e também afirmaram à polícia que não se encontraram antes da morte da vereadora.

Da redação do Portal com informações do site Pleno News.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com