Governadores do nordeste criticam Pacto Federativo e pedem novo leilão do pré-sal

Uma carta conjunta assinada pelos governantes, elenca nove pontos de discussão considerados prioritários pelos estados.

Publicado por: em 7 de novembro de 2019 - 20:05

Ver Perfil

Nordeste

Reprodução/Internet

Os governadores do nordeste criticaram a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Pacto Federativo, enviada pelo governo federal ao Congresso, na terça-feira (5). Após reunião no Recife, eles também defenderam um novo leilão da cessão onerosa do pré-sal, para negociar os dois blocos restantes dos quatro postos à venda pela União. Em carta, os governantes elencam nove pontos de discussão considerados prioritários pelos estados. Entre os pontos temas como as manchas de óleo que atingem o litoral, aprovação do marco do saneamento básico e a conclusão de uma licitação para compra conjunta de medicamentos.

 

A reunião onde as criticas e a carta foi divulgada ocorreu ontem (6), no palácio das princesas, sede do governo de Pernambucano, no Centro do Recife. Estiveram presentes no evento além do governador Paulo Câmara (PSB), os governadores Renan Filho (Alagoas), Camilo Santana (Ceará), João Azevêdo (Paraíba), Wellington Dias (Piauí), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte) e Belivaldo Chagas (Sergipe), além dos vice-governadores Carlos Brandão (Maranhão) e João Leão (Bahia).

Sobre o megaleilão da cessão onerosa do pré-sal, o sentimento, para os governadores, é de frustração, porque os estados e municípios, que teriam direito a 30% dos R$ 69,96 bilhões arrecadados, só receberão metade daquilo que estava previsto. “Frustrou as expectativas, porque são quatro blocos e apenas dois conseguiram êxito, sem competição. Então, preocupa porque havia uma confiança em relação a isso, que não se concretizou. Mais uma vez, vamos ter que nos reprogramar em relação à chegada de recursos da cessão onerosa e, evidentemente, a situação dificulta. Nossa expectativa é de continuar trabalhando e que, mais na frente, esses possíveis erros que tenham ocorrido na condução desse processo sejam corrigidos e que esses dois blocos sejam licitados”, declarou o governador Paulo Câmara.

Já sobre o desastre ambiental que vêm assolando o litoral nordestino provocado pelo derramamento de óleo, a carta cobra implantação efetiva, do Plano Nacional de Contingência. Os governadores também criticam a falta agilidade no processo de combate e contenção das manchas.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com