Defesa do prefeito Meira alega perseguição política

Advogada diz não haver provas para a abertura do processo de impeachment

Publicado por: em 28 de outubro de 2019 - 16:04

Ver Perfil

Interesse

Foto: Reprodução/TV Globo

A advogada Adriana Lins, que representa o prefeito afastado de Camaragibe, Demóstenes Meira (PTB), alegou na tarde de hoje (28), em entrevista ao Portal de Prefeitura, que está sofrendo obstrução por parte dos vereadores da cidade. Adriana disse que a defesa ainda não foi intimada e apontou irregularidades no andamento do processo.

“O interesse é basicamente político, o vereador que está dando encaminhamento ao processo é pré-candidato a prefeito. Ele deveria se declarar impedido de dar continuidade porque há um claro conflito de interesses”, disse a advogada, que complementou a fala se referindo-se à prefeita em exercício, Nadegi Queiroz, “A prefeita que lá está não quer deixar o cargo”, afirmou.

Adriana Lins falou que “Não há provas para que esse impeachment seja aprovado, e mais, várias etapas foram queimadas durante o processo. Estão apenas buscando visibilidade e fazendo perseguição política”, concluiu.

Camaragibe fica na Região Metropolitana do Recife e está sendo gerida pela vice-prefeita desde junho de 2019, quando Meira foi afastado do cargo, após ser preso na Operação Harpalo da Polícia Civil, por suspeitas de chefiar organização criminosa, peculato, desvio de bens e rendas públicas.

O processo de impeachment se baseia nas denúncias de fraudes em licitação durante a reforma da sede da Prefeitura de Camaragibe, além de corrupção e lavagem de dinheiro apresentadas pela Polícia.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com