“Recife sem mordomias” quer cortar gastos na Câmara dos Vereadores do Recife

Câmara dos Vereadores do Recife possui 39 parlamentares e tem custo anual de R$ 155 milhões, campanha quer reduzir números

Publicado por: em 13 de outubro de 2019 - 13:36

Ver Perfil

Campanha

Foto: Divulgação

Um grupo de entidades lançará, nesta quinta-feira (17), uma campanha que tem como finalidade cortar gastos da Câmara dos Vereadores. Batizada de “Recife sem mordomias”, a iniciativa quer reduzir em 50% as verbas indenizatórias e de gabinete pagas, todo mês, aos 39 parlamentares da capital. A ideia é mobilizar a sociedade para conseguir, via projeto de lei de iniciativa popular, levar a discussão do corte de gastos para dentro da câmara.

Em abril de 2017, os vereadores do Recife aumentaram, em favor próprio, o valor do auxílio-alimentação de R$ 3,095,86 para R$ 4.595, um reajuste de 53% no benefício. Uma semana depois, com a repercussão negativa de alcance nacional, decidiram voltar atrás e revogaram o aumento. Ano seguinte, em julho de 2018, nova tentativa. Dessa vez, elevaram o valor para R$ 3.450,00. A medida novamente foi mal vista e também não foi adiante.

A ONG Seja a Mudança fez as contas do custo de cada vereador para a população recifense. Somados o salário (R$ 14.365,00) e todos os benefícios, o parlamentar representa uma despesa de R$ 85.260,86, por mês. Quando o tamanho do gasto é calculado por ano o total de recursos para cada vereador ultrapassa R$ 1 milhão. Considerando o pacote completo, que inclui todos os parlamentares ao longo dos quatro anos do mandato, a despesa chega a R$ 160 milhões. Isso só com os vereadores e seus gabinetes.

É imoral o contribuinte pagar R$ 3.095,86 só de auxílio-alimentação, quando o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) mostra que 66% dos brasileiros vivem com R$ 2.100,00 de renda média”, afirma o professor Igor Sacha, um dos coordenadores da campanha.

Na mira da mobilização estão ainda o auxílio-gasolina (R$ 2.300,00), verba para Correios e telefone (R$ 2.100,00) e o auxílio-paletó (um salário a mais no início e no término da legislatura). Em relação aos outros benefícios, que o projeto de lei propõe reduzir em 50%, os valores também são expressivos. A verba indenizatória garante o repasse de mais R$ 4.600,00, por mês.

Os organizadores da campanha “Recife sem mordomias” fazem questão de ressaltar que, em nenhum momento, a mobilização tem o propósito de negar a política.

Lançamento

A campanha será lançada, nesta quinta-feira (17) às 19h, no auditório G4, da Universidade Católica de Pernambuco. Todas as informações estão reunidas no site www.recifesemmordomias.com.br. Lá, os recifenses têm acesso ao texto na íntegra do projeto de lei de iniciativa popular, além de vídeos e orientação de como assinar o documento.

Caso a lei seja aprovada, o grupo calcula que a economia anual estimada é de R$ 11,4 milhões. O dinheiro, no entanto, não voltaria para os cofres da prefeitura. Pela lei, não teria como, por exemplo, assegurar que esses recursos fossem aplicados em ações sociais.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com