Petrobras está na lista das vinte empresas mais poluidoras do mundo

A estatal brasileira aparece na lista na 20ª posição.

Publicado por: em 10 de outubro de 2019 - 20:10

Ver Perfil

Poluição

Imagem: Agência Brasil

Um estudo do instituto de pesquisas Climate Accountability Institute, com sede nos Estados Unidos, diz que um grupo de 20 empresas é responsável por mais de um terço das emissões de gases causadores do efeito estufa em todo o mundo desde 1965.
Segundo a análise, publicada inicialmente pelo jornal britânico The Guardian nesta quarta-feira, as 20 empresas produtoras de petróleo, gás natural e carvão foram responsáveis por 480,16 bilhões de toneladas de dióxido de carbono e metano liberados na atmosfera nesse período.
O montante representa 35% das emissões totais de combustíveis fósseis e cimento, que foram de 1,35 trilhão de toneladas.
Segundo a análise, publicada inicialmente pelo jornal britânico The Guardian nesta quarta-feira, as 20 empresas produtoras de petróleo, gás natural e carvão foram responsáveis por 480,16 bilhões de toneladas de dióxido de carbono e metano liberados na atmosfera nesse período.
O montante representa 35% das emissões totais de combustíveis fósseis e cimento, que foram de 1,35 trilhão de toneladas.
As empresas
Em bilhões de toneladas de dióxido de carbono equivalente e percentual do total global.
1. Saudi Aramco (estatal, Arábia Saudita) 59,26 (4,38%)
2. Chevron (privada, EUA) 43,35 (3,20%)
3. Gazprom (estatal, Rússia) 43,23 (3,19%)
4. ExxonMobil (privada, EUA) 41,90 (3,09%)
5. National Iranian Oil Co (estatal, Irã) 35,66 (2,63%)
6. BP (privada, Reino Unido) 34,02 (2,51%)
7. Royal Dutch Shell (privada, Países Baixos e Reino Unido) 31,95 (2,36%)
8. Coal India (estatal, Índia) 23,12 (1,71%)
9. Pemex (estatal, México) 22,65 (1,67%)
10. Petróleos de Venezuela-PDVSA (estatal, Venezuela) 15,75 (1,16%)
11. PetroChina (estatal, China) 15,63 (1,15%)
12. Peabody Energy (privada, EUA) 15,39 (1,14%)
13. ConocoPhillips (privada, EUA) 15,23 (1,12%)
14. Abu Dhabi National Oil Co (estatal, Emirados Árabes Unidos) 13,84 (1,01%)
15. Kuwait Petroleum Corp (estatal, Kuwait) 13,48 (1,00%)
16. Iraq National Oil Co (estatal, Iraque) 12,60 (0,93%)
17. Total SA (privada, França) 12,35 (0,91%)
18. Sonatrach (estatal, Argélia) 12,30 (0,91%)
19. BHP Billiton (privada, Austrália e Reino Unido) 9,80 (0,72%)
20. Petrobras (estatal, Brasil) 8,68 (0,64%)
Confira na íntegra a resposta da Petrobras
A Petrobras acompanha a evolução da ciência do clima e seus desdobramentos sobre os sistemas energéticos, sociais e econômicos há mais de 15 anos. A companhia monitora as oportunidades que as novas regulações e as inovações tecnológicas ensejam em termos de novos produtos e modelos de negócios.
Em suas operações, a Petrobras tem buscado aplicar tecnologias que têm como consequência direta a redução da intensidade de carbono, com resultados significativos já alcançados: desde 2008, já foram reinjetadas 9,8 milhões de toneladas de CO2 dos campos de pré-sal na Bacia de Santos. Até 2025, a companhia projeta reinjetar cerca de 40 milhões de toneladas de CO2. Entre 2009 e 2018, foi evitada a emissão de mais de 120 milhões de toneladas de CO2, o que equivale a dois anos de emissões totais da Petrobras.
Atualmente, a Petrobras apresenta, dentre as grandes produtoras de óleo e gás natural, o segundo melhor desempenho em emissões relativas (CO2/barril) nas atividades de exploração e produção.
A Petrobras assumiu o compromisso de crescimento zero das emissões operacionais no horizonte até 2025 (ano base 2015), mesmo com o aumento da produção, firmando metas de redução de intensidade de emissões de 32% na exploração e produção de petróleo e 16% no refino.
Adicionalmente, a Petrobras investirá, até 2023, US$ 350 milhões em linhas de pesquisa e desenvolvimento nas áreas de CCUS (Carbon Capture Utilization and Storage), biocombustíveis avançados, eólica offshore e energia solar.
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com