Ministro do TCU que mandou suspender propaganda do pacote anticrime já foi alvo da Lava Jato

Vital chama atenção, pois já foi alvo de inquérito na Operação Lava Jato

Publicado por: em 9 de outubro de 2019 - 10:43

Ver Perfil

Pacote Anticrime

Foto: Reprodução

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo, mandou que o governo do presidente Jair Bolsonaro suspendesse na última terça-feira (8) a propaganda publicitária do pacote anticrime. Após o pedido de suspensão da propaganda, a campanha viralizou nas redes sociais por apoiadores da medida do ministro da Justiça Sergio Moro.

Vital chama atenção, pois já foi alvo de inquérito na Operação Lava Jato. Em maio deste ano, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, determinou o arquivamento de suspeitas de caixa dois em relação a a Vital do Rêgo, que em 2010 foi senador da República pelo PMDB. A parte da ação que envolve indícios de corrupção e lavagem de dinheiro, no entanto, foi encaminhada à Justiça Federal do Paraná.

O ex-senador do PT, Delcídio do Amaral, afirmou em delação à Justiça que Vital pediu propina para impedir convocações de empreiteiros na CPMI da Petrobras, em 2014. Léo Pinheiro e outros executivos da OAS também confirmaram repasses. O ministro nega todas as acusações.

O executivo Gustavo Xavier Barreto, da Andrade Gutierrez, relatou que participou de um encontro com a presença do ministro em que ficou acertado que a CPMI não poderia “prejudicar as empreiteiras”.

Raquel Dodge, ex-PGR, anotou em manifestação enviada ao Supremo que “o repasse de valores espúrios a Vital do Rêgo, travestido de doação eleitoral oficial, foi usado para camuflar a real intenção das partes, tratando-se de nítido negócio simulado para encobrir a formalidade de transferência de recurso, que não era outro senão adimplir a vantagem indevida e viabilizar a blindagem da convocação dos executivos à CPI da Petrobras”.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com